Está a nascer uma nova praia no Alentejo — e abre já este Verão

A partir de Julho não vão faltar motivos para visitar o Alqueva. A Praia Fluvial de Azenhas D’El Rei, no Alandroal, é a mais recente aposta da região para o Verão. E por Portel também haverá mais uma praia a descobrir no Grande Lago.

Foto
Imagem de projecto CM Alandroal

Com o interior a ser muito procurado para o desconfinamento, o Alentejo, bem servido por uma linha costeira repleta de praias de culto, aposta cada vez mais nas praias fluviais, com o Alqueva como epicentro. Depois dos concelhos de Monsaraz, Amieira e Mourão, chegou a vez de o Alandroal anunciar a mais jovem praia fluvial da região — a Praia Fluvial de Azenhas D'EL Rei, em Monte Juntos.

“Muitas vezes, quando se fala de praias fluviais no Alentejo, as pessoas tendem a dizer que é uma oferta muito sazonal e que não tem um impacto assim tão grande em termos de procura. Mas a verdade é que, além do período em que se procura mais esta actividade, as pessoas acabam por escolher viver cá em função desta oferta e isto tem importantes impactos locais”, começa por explicar à Fugas João Maria Grilo, presidente da câmara do Alandroal.

As obras da nova praia iniciam-se no final do mês de Março, mas fica desde já a garantia autárquica de que avançarão a “todo o vapor” para que possa ser inaugurada em Julho.

Câmara Municipal do Alandroal
Câmara Municipal do Alandroal
Câmara Municipal do Alandroal
Fotogaleria
Câmara Municipal do Alandroal

A área, que terá um extenso areal “com limite de capacidade a definir” e parque de estacionamento gratuito disponível para autocarros e autocaravanas, disponibiliza ainda “um espaço muito verde e muito acolhedor para alturas de Primavera e Verão” que também pode ser utilizado durante as restantes estações do ano.

Vídeo da Câmara Municipal do Alandroal

A proximidade às praias da Liberdade, em Portugal, e de Cheles, em Espanha, colocam a região na mira do turismo, oferecendo “uma dinâmica de interacções muito grande entre um lado e o outro”. “O facto de termos mesmo em frente os nossos vizinhos com o mesmo tipo de oferta pode parecer que é redutor e limitador, mas, pelo contrário cria possibilidades de atracção nos dois lados.”

Os pontos fortes não ficam por aqui. Para além de vigilância permanente e serviços de apoio como um bar-restaurante com esplanada, balneários e instalações sanitárias, a construção albergará ainda uma zona de recreio para os mais novos, um parque de merendas e zonas de “acesso para pessoas com mobilidade reduzida, uma das características mais importantes do projecto”, enfatiza o autarca.

Na água, a oferta continua. Para além dos tradicionais mergulhos, o ancoradouro oferece ainda aos residentes e turistas actividades de pesca, passeios de barco e uma variedade de desportos náuticos. “É nosso objectivo estabelecer parcerias com o desporto escolar ou com outras iniciativas que permitam começar a ter junto dos jovens a oferta dos desportos náuticos numa fase inicial”, nota João Maria Grilo. Os operadores privados também estão convidados a explorar o novo espaço.

Segundo dados anteriormente divulgados, a construção implica um investimento de 714 mil euros que será financiado pelo Turismo de Portugal em 300 mil e pelo município nos restantes 414 mil.

Texto editado por Luís J. Santos