A cegonha-branca, “o actor perfeito” para nos guiar através do filme da costa sudoeste

Há um novo filme sobre a vida da costa sudoeste — que também é a dos fotógrafos e realizadores Luís Quinta e Ricardo Guerreiro — em antestreia na Semana ID da Rota Vicentina. Os protagonistas são “animais de outro mundo”. Nós, humanos somos meros figurantes.

fugas,youtube,facebook,algarve,alentejo,turismo,
Fotogaleria
Luís Quinta
fugas,youtube,facebook,algarve,alentejo,turismo,
Fotogaleria
Luís Quinta
fugas,youtube,facebook,algarve,alentejo,turismo,
Fotogaleria
Luís Quinta
fugas,youtube,facebook,algarve,alentejo,turismo,
Fotogaleria
Luís Quinta

A Costa das Cegonhas – Retrato Natural do Sudoeste tem 52 minutos. São cento e muitos quilómetros do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, de Sines ao Burgau entre pegadas de dinossauro e de elefantes que deixaram marcas. Das suas explorações e das filmagens, Luís Quinta e Ricardo Guerreiro guardam à volta de sete terabytes de brutos com cerca de 120 horas de onde saiu um filme que também é um documentário sobre a cegonha-branca, simplesmente o protagonista. “É o actor perfeito para contar a história deste filme”, sugere Luís Quinta numa conversa a três.