Assim começa uma lenda: William Melvin Kelley

Foto
Carl Van Vechten Collection/Getty Images

Quando morreu, a 1 de Fevereiro de 2017, aos 79 anos, William Melvin Kelley era um grande desconhecido para os americanos. Poucos sabiam dos seus romances e contos a que a crítica chamava de experimentais e muito poucos conheciam os mundos paralelos que criou para expor e indagar sobre a identidade americana a partir da questão racial, aplicando o conceito do historiador Lerone Bennett Jr.: “não há um problema Negro na América... O problema da raça na América... é um problema branco.” Também quase ninguém fazia ideia de que morria o autor de um dos romances mais vibrantes, incómodos, elegantes acerca de um tema que continua a ser uma das feridas abertas da América: a segregação racial.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários