Uma rádio para a arquitectura vai nascer este sábado em Lisboa

Pedro Campos Costa é o curador do projecto Antecâmara, que põe no ar “a primeira rádio em Portugal e no mundo em português” sobre esta disciplina. Data escolhida coincide com o Dia Mundial da Rádio.

artes,media,culturaipsilon,arquitectura,lisboa,angola,
Fotogaleria
A radio vai ter as emissões a partir da Galeria Antecâmara, em Lisboa Tiago Casanova
artes,media,culturaipsilon,arquitectura,lisboa,angola,
Fotogaleria
A Rádio Antecâmara está instalada no atelier de Pedro Campos Costa Tiago Casanova
artes,media,culturaipsilon,arquitectura,lisboa,angola,
Fotogaleria
A radio vai ter as emissões a partir da Galeria Antecâmara, em Lisboa Tiago Casanova
artes,media,culturaipsilon,arquitectura,lisboa,angola,
Fotogaleria
O projecto inclui a realização futura de emissões ao vivo Tiago Casanova

Uma visita guiada pela arquitecta Soraia Fernandes ao Hotel das Termas de Vals, na Suíça, projecto de Peter Zumthor, na rubrica de Pedro Campos Costa Vertigem das Listas; uma conversa com o projectista de arquitectura e urbanismo e activista angolano Luiz Araújo, moderada por Paulo Moreira, a abrir uma série dedicada a Luanda no programa Luandando (inspirado no livro homónimo de Pepetela); o primeiro episódio de When Socrates Was An Architect, com Francisco Moura Veiga usando o método socrático para fazer perguntas sobre o ensino da Arquitectura a quatro professores de instituições prestigiadas de diferentes países: Deborah Berke (Yale, Estados Unidos), Dirk Van Gameren (Delft, Países Baixos), Christoph Lindner (Bartlett, Reino Unido) e Maarten Delbeke (ETH Zurich, Suíça). São três de duas dezenas de programas que vão ser lançados este sábado online pela Rádio Antecâmara, em Lisboa, a inaugurar “a primeira rádio em Portugal sobre arquitectura e a primeira no mundo em português”.

O curador do projecto é o arquitecto Pedro Campos Costa (Lisboa, 1972), que, ao PÚBLICO, o justifica pela “necessidade que esta disciplina tem dos media, seja em registo de escrita, televisivo ou radiofónico”.

A emissão, a ficar disponível pelas 10h00 da manhã, vai ser feita a partir da galeria que o arquitecto — autor da extensão do Oceanário de Lisboa e Prémio FAD 2015 — montou no edifício do seu atelier no Bairro das Colónias, aos Anjos, freguesia de Arroios. É daí que vem o nome Rádio Antecâmara, já que o “estúdio” onde a rádio vai emitir os seus programas foi montado nesse espaço recuperado no passado Verão na padaria de uma antiga fábrica de pão do bairro lisboeta.

“A nossa ideia, quando abrimos o novo espaço em Agosto, era já fazer uma galeria e uma rádio”, recorda o arquitecto-curador, dizendo que a pandemia que estamos a sofrer fez com que o projecto ganhasse entretanto “ainda mais sentido”.

E Pedro Campos Costa realça que a nova rádio “não é um projecto de uma pessoa, antes uma plataforma aberta a todos os que – arquitectos, curadores, jornalistas e membros da comunidade local – queiram usá-la para divulgar a arquitectura e promover o debate em volta dos seus temas”.

O arquitecto evoca “as boas memórias” que guarda ainda do programa “ao volante pela cidade” que o arquitecto Manuel Graça Dias apresentou na década de 90 na TSF. “É evidente que ele era uma pessoa muito especial, com uma capacidade de comunicação irrepetível; a sua memória explica bem a importância da rádio para a arquitectura”, nota.

Emissões diárias

“Do centro do bairro em Lisboa, queremos que a arquitectura volte a ter foco na cidade através dos media, abrindo novos espaços de criação e empoderamento para a classe e a comunidade”, diz o comunicado de apresentação da Rádio Antecâmara, que se propõe emitir diariamente, com conteúdos novos todas as semanas.

O primeiro alinhamento propõe 19 programas, a lançar quinzenal ou mensalmente, sobre os temas mais diversos, e com autores de diferentes localidades do país, com predominância, neste início, para os que são feitos no Porto – em cuja Faculdade de Arquitectura (FAUP) Pedro Campos Costa se licenciou em 1997.

O programa Luandando, de Paulo Moreira – que recentemente transformou também o seu atelier num Instituto dedicado às artes e à cultura urbana –, que visa lançar perspectivas novas sobre as relações do urbanismo com a política na capital angolana, tem já meia dúzia de episódios gravados. A ideia original era que o arquitecto portuense se deslocasse mesmo a Luanda para gravar as entrevistas, mas a pandemia fez gorar essa possibilidade, e o recurso foram as vias digitais. Mas Pedro Campos Costa avança que, em Junho próximo, a Galeria Antecâmara irá fazer uma exposição do projecto Luandando. E, para o mês a seguir – se a covid-19 ajudar, claro –, associada com a FabLab, está também agendado um workshop, no bairro dos Anjos, destinado à construção de um emissor de rádio, que difundirá ao longo de um dia para a comunidade local.

A ideia de realizar emissões em directo faz parte, de resto, do projecto da Rádio Antecâmara, que na sua grelha inicial mantém duas rubricas com entrevistas em directo feitas por Bruno Pereira e Vasco Costa. A primeira, Piraclastro 33, irá para o ar já na próxima semana, dia 20 (mas, naturalmente, ainda também via redes digitais, face ao confinamento a que iremos continuar obrigados), com o arquitecto Bruno Pereira a entrevistar vários artistas e criativos.

No futuro, além de Angola e do mundo lusófono em África, a nova rádio quer ligar-se também à arquitectura brasileira. Pedro Campos Costa, que desenhou o Consulado de Portugal no Rio de Janeiro, diz que não está nada ainda planeado, mas que o objectivo é “piscar o olho e potenciar a relação com esse território de arquitectura”. “O bebé nasce agora; vamos esperar que cresça”, perspectiva o arquitecto-curador da Rádio Antecâmara.