Um Instituto aberto à arquitectura e muito mais

Em pleno miolo histórico do Porto, um atelier de arquitectura transformado em centro de artes e de cultura urbana entra no terceiro ano de actividade. Esta quinzena está a debater práticas emergentes, comunicação, urbanismo e civismo.

trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
Neon na entrada anuncia ainda a exposição de Kiluanji Kia Henda Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
Na parede, peça da Sala da Nação - Embaixada de Terra Nenhuma, que Kiluanji Kia Henda e Paulo Moreira apresentaram na Trienal de Arquitectura de Lisboa (2013) Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
O Instituto é um estrutura modular adaptável a vários serviços Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
O Instituto foi criado em Dezembro de 2018 Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
Sala de reuniões e de trabalho Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
O pátio-jardim também serve de palco para concertos Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
O atelier fica no miolo do quarteirão da Rua dos Clérigos Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
Arquitecto Paulo Moreira Nelson Garrido
trienal-arquitectura,exposicao,artes,culturaipsilon,arquitectura,porto,
Fotogaleria
Catarina Almeida Brito DR

Por estes dias de confinamento, a porta n.º 44 da Rua dos Clérigos, no Porto, encontra-se encerrada, mas se alguém ousar mesmo assim entrar vai percorrer um túnel escuro e, a meio, ver-se surpreendido com uma mensagem em néon: “Red Light Square – History is a bitch project: Kinaxixi”. É a chamada para a instalação que o artista angolano Kiluanji Kia Henda apresentou no final do ano passado no Instituto, na sequência de uma residência criativa realizada neste lugar recentemente fundado pelo arquitecto Paulo Moreira e especialmente virado para a arquitectura, a cultura urbana e as práticas espaciais.