Conselho de Ministros aprova compra adicional de 15 mil computadores para alunos

Adaptação das férias dos docentes será decidida pela direcção das escolas em função do novo calendário lectivo.

Foto
ADRIANO MIRANDA

O Conselho de Ministros aprovou, esta quinta-feira, 4 de Fevereiro, a alteração do horário escolar, necessária após a interrupção ditada pelo confinamento total. Em comunicado publicado no site do Governo, é ainda dito que a marcação de férias dos professores será ajustada pela direcção das escolas em função do novo calendário escolar, de modo a assegurar a realização de provas e exames, “não prejudicando o direito ao gozo de férias pelos docentes”.

Desta reunião entre ministros sai ainda a autorização de despesa relativa à compra de computadores e internet para os alunos carenciados, que vão transitar novamente para o ensino à distância com este encerramento das escolas. Em comunicado enviado às redacções, o Ministério da Educação clarifica que esta despesa servirá para a compra de mais 15 mil computadores, que serão adicionados aos 100 mil já entregues a alunos carenciados do ensino secundário. O Governo espera ainda a chegada de mais 335 mil portáteis, cuja entrega foi atrasada por problemas de abastecimento dos fabricantes. 

O “dever de apresentação na sequência de colocação, contratação ou regresso ao serviço” dos professores passa a ser feito por contacto electrónico durante o ano lectivo 2020-21, não sendo necessária a presença física dos docentes.

Foi há exactamente duas semanas que o primeiro-ministro anunciou o encerramento de creches, escolas e universidades. A pausa de 11 dias úteis, nos quais não se voltou a retomar o ensino à distância – que terá início na segunda-feira –, será compensada nas férias de Carnaval, Páscoa e com uma semana extra no Verão, anunciou António Costa em comunicação ao país.

Segundo a informação do Ministério da Educação enviada esta quarta-feira às escolas, haverá aulas nos três dias de férias do Carnaval (de 15 a 17 de Fevereiro) e as férias da Páscoa vão começar mais tarde, a 29 de Março, e ser de apenas uma semana, terminando a 1 de Abril. Serão ainda acrescentados cinco dias suplementares à data em que terminará o terceiro período, de modo a compensar os 11 dias perdidos.

As alterações às datas de exames nacionais e restantes provas serão anunciadas pelo Ministério da Educação até ao dia 12 de Fevereiro.

Notícia actualizada às 18h04: acrescentada informação enviada pelo Ministério da Educação sobre compra de computadores