Samsung baixou o preço dos novos topo de gama. S21 chegam no final de Janeiro

Os novos telemóveis da Samsung chegam ao mercado com preços mais baixos, um novo design e um modo para filmar com todas as lentes da câmara em simultâneo. O S21 Ultra é compatível com as S Pen da gama Galaxy Note.

Foto
A Samsung apresentou esta semana três novos modelos S21 Samsung

O ano começou há duas semanas, mas já há três novos topos de gama 5G da Samsung no mercado. Em 2021, a marca sul-coreana antecipou a data habitual do lançamento da série Galaxy S e anunciou os novos Galaxy (S21, S21 Plus e S21 Ultra) em Janeiro. Os preços começam nos 879,90 euros (para o Galaxy S21, com 5G e 128 GB), o valor mais baixo para um topo de gama da Samsung — que não é apresentado como uma versão “low cost"— desde 2019.

As pré-vendas começaram esta quinta-feira. "O ano passado mostrou-nos a todos o quão importante a tecnologia é para todos nós”, justificou TM Roh, que lidera a secção de comunicação móvel da Samsung, no começo de uma apresentação virtual dos novos aparelhos.

Os três novos modelos, todos compatíveis com as novas redes 5G, trazem mudanças no design (as lentes traseiras têm relevo metálico), melhorias ao nível da câmara, do zoom e do ecrã (a 120Hz) e novas funcionalidades (incluindo um telemóvel que é compatível com as canetas dos telemóveis Galaxy Note), mas o que mais surpreendeu os analistas foi o preço. A descida é pequena — cerca de 50 euros em alguns modelos — e o telemóvel vem sem carregador na caixa, mas contraria a tendência crescente dos preços dos telemóveis topo de gama.

O modelo de base mais caro (1469 euros pelo Galaxy S1 Ultra com 512 GB) também é ligeiramente mais barato que a versão de 2020.

“O mais inesperado foi o preço de lançamento porque não é algo habitual para a Samsung. A marca parece estar a tentar ganhar terreno no mercado face à Apple, por exemplo”, explicou ao PÚBLICO Tina Lu, analista de mercado na Counterpoint Research. Em Outubro, a Apple também anunciou o iPhone Mini 5G por 829 euros.

Foto
O modelo mais caro é compatível com as S Pen Samsung

“Como a versão ‘low cost’ da gama Galaxy —o S20 Fe — correu bem, acredito que a marca tenha percebido que ao baixar ligeiramente o preço conseguiria obter mais atenção no segmento premium”, continua Lu, que lembra que marcas chinesas como a Oppo, a Xiaomi e a Vivo estão a conquistar mais relevância no mercado dos topo de gama.

É uma área que tem vindo a crescer em Portugal, segundo José Correia, responsável ibérico pelo marketing de produto da Samsung. A redução de preço, argumenta, não está relacionada com o facto do carregador já não estar incluído. Essa é uma estratégia à parte da empresa para reduzir o desperdício porque os carregadores têm-se mantido iguais — a Apple tomou a mesma decisão no último iPhone

“A descida de preço é uma aposta estratégica. Temos uma competição forte e temos um telemóvel novo pronto, por isso é altura de o lançar”, notou Correia numa pré-apresentação dos telemóveis para jornalistas. “Sentimos que há mais interesse no segmento premium. Com o teletrabalho as pessoas têm sentido necessidade de telemóveis que permitem fazer tudo aquilo que precisam de fazer”

Foto
Para guardar a caneta junto ao Samsung Galaxy S21 Ultra é necessário comprar uma capa Samsung

Nova câmara. A caneta é acessório

O ecrã do modelo de topo da série S21, o S21 Ultra, é compatível com todas as canetas tácteis da Samsung, conhecidas por S Pen. Isto permite que o S21 Ultra tenha funcionalidades que antes só eram possíveis num telemóvel da gama Note: por exemplo, deixar anotações manuscritas no ecrã, tirar fotografias sem tocar no telemóvel (basta um clique da caneta), desbloquear o telefone e assinar documentos.

A caneta, que tem de ser comprada à parte, não fica embutida no telemóvel, mas já há capas com espaço para a colocar. José Correia, da Samsung, diz que o objectivo não é eliminar a gama Galaxy Note.“Os Note continuam a ser um telefone mais para o trabalho. Esta nova funcionalidade é para quem quer um telemóvel da série S com caneta”, nota Correia. “É algo que as pessoas nos têm pedido repetidamente. Vamos ver como o mercado reage.”

Foto
DR

O novo trio de telemóveis da Samsung traz um modo para filmar com as câmaras frontais e traseiras (modo Director's View) em simultâneo e transmiti-lo para as redes sociais. O objectivo é simplificar vídeos em directo para redes sociais como o Tik Tok, ou o Instagram, e facilitar o contacto entre pessoas durante a pandemia.

A Nokia tentou lançar um conceito semelhante em 2017, com o Nokia 8 e o “modo bothie” (uma mistura de selfie com a palavra inglesa both, que significa “ambos").

A versão da Samsung também permite alternar facilmente entre as várias lentes da câmara (modo Live Thumbnails): para o S21 e S21 plus, são duas lentes grande-angulares de 12 megapixeis, uma lente grande angular de 12 megapixeis, uma lente de telefoto de 64 megapixeis e uma câmara frontal com 10 megapixeis. O S21 Ultra acrescenta teleobjetiva dupla e uma lente grande angular com 108 megapixeis. 

Para ajudar a reduzir a fadiga ocular, os três telemóveis vêm com a funcionalidade Eye Comfort Shield que ajusta automaticamente a luz azul do ecrã consoante a hora do dia e os hábitos de utilização de cada utilizador.

Os três telemóveis — S21 (6.2 polegadas, bateria com 4,000 mAH), S21 Plus (6.7 polegadas, bateria com 4,800 mAH, e S21 Ultra (6.8 polegadas,  bateria 5,000 mAH) chegam às lojas no dia 29 de Janeiro. As pré-vendas dos telemóveis começaram esta quinta-feira com pacotes que incluem os novos auriculares da Samsung, os Galaxy Buds Pro (239 euros) e a Smart Tag que é uma etiqueta digital para anexar a chaves, cães e malas que não se querem perder.

Foto
A Samsung apresentou três novos modelos DR