Como nos podemos proteger do frio? Dicas e cuidados a ter em atenção

O frio parece não dar tréguas de norte a sul, e vamos poder contar com ele por mais uns dias. E, depois de uma semana de temperaturas baixas, não é por estarmos mais habituados que devemos baixar a guarda.

Foto
As extremidades do corpo devem ser mantidas quentes, nomeadamente os pés recorrendo a meias grossas Unsplash/Jonathan Taylor

A última semana pôs o país a falar de outro assunto para além da covid-19, das presidenciais ou mesmo do ataque ao Capitólio nos EUA: o frio que se fez sentir em todo o território. E ainda não passou. É que “os dias mais frios” serão segunda e terça-feira da próxima semana, segundo disse ao PÚBLICO Patrícia Gomes, meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

“De um modo geral quase todo o território terá valores baixos de temperatura mínima”, possivelmente negativos. “Nas regiões mais próximas do litoral estamos a falar de -1 ou -2 graus e nas regiões do interior estamos a falar de valores de -6 ou -7 graus e pontualmente, num ou outro local, valores ainda mais baixos.”

E, ainda que se caia na tentação de achar que o corpo, ao fim desta semana de temperaturas muito baixas, já está mais habituado, há recomendações que não devem ser ignoradas. Até porque é nos dias mais frios que o perigo, por exemplo, de intoxicação por inalação de gases provenientes dos aquecimentos ou de incêndios nas habitações aumenta. Também na estrada as atenções devem ser redobradas e a velocidade moderada, face ao risco de apanhar zonas em que o gelo tomou conta do asfalto.

Foto
Unsplash/Alex

Cuidados com o corpo

Exposição prolongada ao frio. Deve-se evitar períodos longos de exposição ao frio e ter atenção às mudanças bruscas de temperatura: ter o ar condicionado no máximo do quente dentro do carro pode saber bem, mas não ser a melhor ideia quando se está sempre a entrar e a sair.

Roupa por camadas. Se ainda não foi à procura da camisola interior, esta será a altura para o fazer. Além disso, o ideal é vestir várias camadas, podendo dessa forma despir ou vestir mediante as oscilações de temperaturas. Atenção: a roupa apertada não irá aquecê-lo com mais eficácia – a pele precisa de respirar.

Proteja as extremidades. Cabeça, mãos e pés são as partes do corpo mais susceptíveis de sofrerem com o frio extremo. Não facilite: saia à rua sempre com meias quentes, luvas e gorro.

Hidrate-se. Apesar de parecer, o álcool não aquece. Pelo contrário: a ingestão de bebidas alcoólicas irá promover a desidratação do corpo, que ficará mais à mercê do frio. Opte por aumentar o consumo de água – e, se lhe for desagradável a água fria, opte por chás e infusões.

Foto
Unsplash

Cuidados com a pele

Secura e vermelhidão. Com o frio, o sangue tem mais dificuldade em chegar às camadas superficiais da pele. Além disso, a baixa humidade associada às temperaturas mais baixas leva a uma diminuição da produção de sebo, prejudicando a barreira de protecção da pele. É aconselhável nestes períodos usar cremes hidratantes destinados a peles secas, ou seja, mais ricos em gordura e que muitas vezes estão associados a pele atópicas.

Desidratada. A hidratação adequada não corrige apenas o problema da pele como também ajuda a isolar o corpo evitando, assim, a perda de calor.

Frieiras e fissuras. Quando não se consegue evitar este tipo de feridas, é aconselhável recorrer a um médico, que poderá prescrever um anti-inflamatório. Além disso, deve-se abusar de cremes hidratantes.

Foto
Matias T/Unsplash

Cuidados com a casa

Perigo de intoxicação. Uma lareira é sempre muito apetecível. No entanto, qualquer aquecimento que recorra à combustão pode causar intoxicação por acumulação de monóxido de carbono. Verifique as saídas de gases antes de atear a braseira.

Perigo de curto-circuito. Não vá dormir com o aquecimento eléctrico ligado. Também não caia na tentação de o deixar ligado à corrente quando sai de casa.

Perigo de queimaduras. Além dos cuidados próprios, esteja atento às crianças que, por uma distracção, atiçada pela curiosidade, se podem queimar em qualquer aquecimento.

Foto
Unsplash/Dimitri Houtteman

Cuidados com os animais

Passeios mais curtos. O cão vai continuar a ter de ir à rua, mas os passeios devem ter uma duração curta, não expondo o animal ao frio durante demasiado tempo.

Capas. Pode ser equacionado o uso de uma capa, dependendo da raça do cão e do tipo de pêlo deste.

Protecção. Se o animal está habitualmente na parte exterior da casa, deverá ponderar permitir a sua entrada nestes dias mais frios ou assegurar que tem um abrigo reforçado.

Queimaduras. Os gatos são verdadeiros apaixonados por fontes de calor. Se tem um aquecedor ligado, preste atenção para que o animal não se mantenha muito próximo do mesmo.