Pequeno ensaio sobre o tribalismo – parte 2

Talvez por não frequentarem a missa ao domingo, estes autoproclamados progressistas não têm a menor noção de quão próximos estão dos beatos mais devotos.

No início da missa, há uma fórmula conhecida como acto penitencial, em que o crente declara ter pecado “por pensamentos, palavras, actos e omissões”, por sua “culpa”, sua “tão grande culpa”. Essa oração tem como objectivo a purificação interior, permitindo ao católico participar condignamente na eucaristia. O acto penitencial invoca, claro está, Deus, a Virgem Maria, os anjos e os santos, mas se nós expurgarmos dele as entidades cristãs, aquilo com que ficamos é a descrição perfeita da postura que hoje nos é exigida pelos devotos da cultura woke, sejam eles anti-racistas, feministas, activistas queer ou qualquer outro sacerdote das causas sagradas da contemporaneidade ilustrada.

Sugerir correcção
Ler 26 comentários