Fundo de Resolução identifica “incumprimento dos deveres de informação” no Novo Banco

Fundo de Resolução recusou pagar quaisquer serviços prestados pela ex-assessora de Ricardo Salgado, depois de ter identificado que os alertas internos sobre este processo lhe foram “omitidos” pela gestão do Novo Banco.

Foto
Nuno Ferreira Santos

Em Agosto de 2020, o Fundo de Resolução informou o conselho de administração executivo (CAE) do Novo Banco de que decidira não pagar “os custos suportados pelo Novo Banco com quaisquer serviços de assessoria prestados pela Alantra, relativamente a quaisquer activos abrangidos pelo acordo de capitalização [a almofada pública de capital de 3,9 mil milhões de euros]”, alegando ter ocorrido “um incumprimento dos deveres de informação” contratuais a que está obrigado o banco liderado por António Ramalho. Isto, ao constatar que lhe foi “omitido”, logo em Abril de 2018, que o departamento de compliance dera indicações ao Novo Banco para excluir “o Grupo Alantra de quaisquer processos de consulta a serem lançados”, e “não apenas do Projecto Viriato”, devendo mesmo o banco abster-se de “o contratar a qualquer título”.