Cunha Rodrigues: “Continuo a fazer a boa escolha em cada momento, doa a quem doer”

Aos 80 anos ainda trabalha. O magistrado que recusou cinco vezes entrar para um governo deixa agora um testemunho fundamental para traçar um retrato do que foi a justiça portuguesa e a sua relação com o mundo da política nas duas últimas décadas do século XX.

Foto
Rui Gaudencio / Publico

Acabou por nunca se meter na política, como muitos vaticinavam que faria. Foi convidado cinco vezes para integrar governos de diferentes cores políticas. Maria Barroso incentivou-o a candidatar-se a Presidente da República, e Cavaco Silva chamou-o para ministro.