Como a Odebrecht levou à queda de presidentes na América Latina

Só no Peru, quatro ex-presidentes foram apanhados pelos tentáculos da construtora brasileira. Antigos chefes de Estado do Brasil, Colômbia, México e Equador foram também associados a escândalos da Odebrecht. Na Venezuela e em Angola, investigações nunca arrancaram.

Foto
Esquema de corrupção da Odebrecht atingiu 12 países da América Latina e de África Nacho Doce/Reuters

Em 2015, Marcelo Odebrecht, que tinha sucedido ao seu pai Emílio na presidência da construtora brasileira Odebrecht em 2008, foi preso e condenado a 19 anos de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa na sequência da Operação Lava-Jato. Foi então revelado que, através do financiamento de campanhas políticas, a construtura pagava favores para garantir a obtenção de contratos públicos, existindo um departamento específico para o pagamento de luvas, o saco azul a que os brasileiros chamam “caixa 2”.