No Senhor Uva, vinhos naturais e pratos vegetarianos

Do Canadá para Lisboa, Stepahnie Audet é a responsável pela cozinha deste espaço na zona da Estrela. Mar Davidson encarrega-se dos vinhos. O Senhor Manuel abre em breve.

restaurante,restauracao,gastronomia,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Stephanie e Marc no Senhor Uva Rui Gaudêncio
restaurante,restauracao,gastronomia,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
A sala do Senhor Uva Rui Gaudêncio
restaurante,restauracao,gastronomia,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Senhor Uva Rui Gaudêncio
restaurante,restauracao,gastronomia,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Senhor Uva Rui Gaudêncio

Há muito tempo que Marc Davidson e Stephanie Audet pensavam deixar “o frio do Canadá”, e o stress e pressão do trabalho em restaurantes de Montreal, e mudar-se para a Europa. Lisboa surgiu-lhes como o lugar ideal – a mãe de Marc nasceu em Macau, havia uma ligação a Portugal, e ele já conhecia bem a cidade. “A qualidade de vida é muito diferente aqui”, diz Stephanie, “é muito mais tranquila, com muito sol”.

Chegaram em Outubro de 2018 e no início de 2019 abriram na Estrela o Senhor Uva, um bar de vinhos naturais e comida vegetariana, algo em que Stephanie trabalhou sempre no Canadá e aperfeiçoou nas muitas viagens que fez pelo mundo. “Em Portugal as coisas são tão frescas e os vegetais estão cheios de sol”, diz. Marc movimentava-se já no universo dos vinhos naturais, muito popular em Montreal, o que lhe tinha dado uma familiaridade com os pequenos produtores portugueses.

E assim, no espaço pequeno e muito acolhedor do Senhor Uva pode-se descobrir ao longo de todo o dia (a partir da hora do almoço) uma grande oferta de vinhos (há sempre uma selecção de 15 deles a copo para se experimentar coisas diferentes) de diversos países. Quem não conhecer bem as referências terá a ajuda dos empregados que tentam perceber que perfil de vinho poderá agradar a cada cliente.

Foto
Um dos pratos do Senhor Uva Rui Gaudêncio

Para acompanhar, uma carta, que vai mudando – “normalmente a cada duas semanas temos um prato novo”, explica Stephanie – e que se divide no couvert, composto por pão de massa-mãe e manteiga, azeitonas e tremoços biológicos, e pistácio com sal, pimenta preta e lima. Nos snacks, a influência do Brasil, onde Stephanie também trabalhou, vê-se nas bolas de jaca com molho BBQ coreano e pickles de couve roxa; e há também tacos de raiz de aipo, lentilhas, ervas, molho de abacate e couve rábano.

Nos petiscos, há de momento os outonais marmelo, batata, castanha, couve rábano e pickles de cebola roxa; ou os pleurotos com alho francês, tremoços, molho de sementes de abóbora e ovo escalfado; ou ainda a beringela, cenoura, molho de miso e alho preto, sesamo e nori. Nas sobremesas, a escolha é entre a mousse de iogurte e tahini, com pepino marinado, gel de chia e mel, maracujá, caramelo de soro de leite e dacquoise; ou as pêras bêbedas com creme de pera e avelã, xarope de chocolate e café, azeda e framboesa.

Em frente do Senhor Uva vai abrir em breve o Senhor Manuel (do nome do senhor que foi dono do local durante 54 anos e com quem Marc e Stephanie se habituaram a tomar café todas as manhãs), que será mais centrado nos vinhos (que vão passar a importar), mas que terá também “pão, queijo, azeitonas e tremoços”, ou não estivéssemos nós em Portugal.