“Dê um descanso à cozinha”: Makro lança “campanha global” de apoio aos restaurantes

Uma “campanha global em grande escala” com uma premissa: incentivar toda a gente a encomendar os menus de Natal em “negócios de restauração locais”. A chamada de apoio tem versões em 18 países.

marketing,restauracao,natal,consumo,fugas,empresas,
Foto
Uma das frases-chave da campanha DR

#DêUmDescansoÀCozinha é o mote da campanha natalícia do grupo Metro, de que faz parte a Makro Portugal. Segundo a empresa, o convite para fazer as encomendas de Natal na restauração local "promove a notoriedade dos negócios do sector HoReCa [hotéis, restaurantes, cafés e afins], impactados pela pandemia”.

“Com um volume publicitário significativo”, refere a empresa sem adiantar valores, é uma “campanha global em grande escala”, que estará presente em 18 países, e tem como âncora “um vídeo emocional". “Todos são incentivados a encomendarem o seu menu de Natal nos negócios de restauração locais”, sublinham.

“O sector da gastronomia, entre outros, foi especialmente atingido pelos efeitos da pandemia” e “já registou perdas de receitas na ordem dos dois dígitos percentuais este ano, 31% até Setembro, de acordo com a declaração do Ministro da Economia”, refere-se em comunicado. 

Com “muitos negócios” a “lutar para sobreviver”, as “perspectivas de negócio para os proprietários de negócios próprios não parecem muito promissoras para os próximos meses”, opina-se, destacando as “restrições governamentais” e “alguma incerteza entre os consumidores”

Em Portugal, a empresa diz pretender apoiar especialmente "os seus 30.000 clientes”, “especialmente no sector da restauração, hotelaria e catering”.

A campanha insere-se numa série de iniciativas do grupo para apoiar os seus clientes do sector. No comunicado, David Antunes, CEO da Makro Portugal, reforça: “Iremos defender os nossos clientes da restauração até terem a atenção que merecem. Dificilmente qualquer outra área poderá trazer tanta diversidade e alegria à nossa sociedade. É nossa obrigação mantê-lo”.

Sugerir correcção