Conselho Europeu: bloqueio da Hungria e Polónia ao pacote de resposta à crise discutido esta quinta-feira

Presidência alemã da UE insiste que a única alternativa é a aprovação do orçamento e fundo de recuperação que Budapeste e Varsóvia estão a pôr em causa por discordarem da condicionalidade ao Estado de Direito.

Foto
Mateusz Morawiecki, primeiro-ministro polaco e Viktor Orbán, primeiro-ministro da Hungria Reuters/FRANCOIS LENOIR

Ideias há muitas, mas por enquanto a discussão sobre os passos que a União Europeia pode dar para ultrapassar o bloqueio da Hungria e Polónia, que põe em risco a aprovação do pacote de resposta à crise composto pelo próximo quadro financeiro plurianual e fundo de recuperação, é meramente académica. Oficialmente, a Europa não tem um plano B para responder às consequências económicas e sociais da pandemia de coronavírus: a solução para o impasse, insistem dirigentes e diplomatas em Bruxelas, não é de natureza técnica, mas política.