Em Setúbal, há livros para ir, vir e depois voltar

Leituras, observação e actividades fazem do serviço educativo da Casa da Avenida, em Setúbal, um lugar de pensamento e crescimento. Divertidas ou comovidas, as crianças participam inteiras. Alguns adultos, também.

fugas,artes,educacao,livros,setubal,escolas,
Fotogaleria
DR
fugas,artes,educacao,livros,setubal,escolas,
Fotogaleria
DR
fugas,artes,educacao,livros,setubal,escolas,
Fotogaleria

Integrado na Festa da Ilustração de Setúbal, o programa Ir e Vir e Voltar (com Livros) propõe “uma viagem com tantos livros e tantas imagens quantas quisermos”, descreve Maria João Frade, da Casa da Avenida e organizadora do programa em parceria com a câmara municipal. “O livro e a leitura são a paisagem de fundo para a exposição, espectáculos e oficinas”, acrescenta, no Jornal da Festa.

No próximo dia 25 de Outubro, há mais um atelier à volta dos livros e o espectáculo A Metade Que Falta (11h), com  Ricardo Guerreiro Campos. Repete-se ainda o espectáculo-oficina A Grande Viagem do Pequeno Mi (16h), inspirado na obra com o mesmo nome, de Sandro William Junqueira, ilustrado por Rachel Caiano e editado pela Caminho. 

PÚBLICO -
Foto
DR

Descrição do espectáculo-oficina: “Em cima de uma grande mesa, uma bailarina dança e uma música canta e toca. O público, sentado à volta, observa as duas de perto. Elas dançam, cantam e tocam para que este decifre como são e de onde vêm os seus passos, os seus gestos, a sua figura em movimento. Como se juntam aspectos do que as artistas vêem no momento em que dançam e tocam para um grupo de adultos e crianças, com os micromovimentos, olhares e poses do público enquanto observa? Mi, neste caso, é uma abreviação de micromovimento. Ou seja, a fonte que sustenta todo o espectáculo.” Uma criação de Ana Raquel, Beatriz Marques Dias e Madalena Victorino para toda a família reflectir sobre o poder da imaginação.

PÚBLICO -
Foto
Espectáculo "A Grande Viagem do Pequeno Mi" DR

Sombras e silhuetas

Na manhã do dia 24 (11h), a ilustradora Rachel Caiano aproveita a mesma sala para um novo atelier focado naquele livro, chamou-lhe Um Fio de Desenhos, uma viagem “à volta de linhas, fios, riscos, traços e frases” (a partir dos cinco anos, 3€). Na tarde do mesmo dia (16h), a exposição de Graça Pinto Basto, Sombras, Silhuetas e Outras Histórias, também é ponto de partida para um atelier que explora “um universo cheio de infância, onde as formas, as palavras, as sombras e as silhuetas revelam e escondem os lugares, os animais, as pessoas e as histórias que lhes dão vida” (a partir dos cinco anos, 3€).

A Casa da Avenida acolhe ainda mais uma exposição, As Mãos e os Livros. Desenhos de Madalena Matoso para um texto de Isabel Minhós Martins, editado pela Planeta Tangerina, “em que as mãos e os livros fazem a festa!” No dia 31, a ilustradora orientará um atelier a partir dele (11h).

PÚBLICO -
Foto
Exposição "As Mãos e os Livros" DR

Por último, a reedição de Histórias da Minha Rua (A Bela e o Monstro), primeira obra escrita por Maria Cecília Correia e a primeira ilustração para a infância de Maria Keil (1.ª edição em 1953), motiva leituras, actividades e conversas no último dia de Outubro às 16h. 

Ir e Vir e Voltar (com Livros) é um programa municipal de educação pela arte e pelas ciências experimentais promovido pela Câmara Municipal de Setúbal, a que se juntou a Casa da Avenida, no âmbito de candidatura ao PORLisboa, Portugal 2020 Medida 10.1 — Planos Inovadores de Combate ao Insucesso Escolar. É um projecto dirigido aos jardins de infância e turmas de 2.º ano do 1.º ciclo do ensino básico públicos.

Durante todo o ano, há ateliers de continuidade na Casa, pela mão da educadora Margarida Costa e da responsável pelo serviço educativo, Maria João Frade. Actualmente, o tema é a exploração da paisagem, a partir do livro O Que Há Neste Lugar?, editado pelo Museu da Paisagem.

Enquanto as crianças frequentam as actividades que lhes são exclusivamente destinadas, os adultos podem aguardar no Café da Casa e desfrutar de um brunch, por exemplo.

Sugerir correcção