direccaogeral-saude,alunos,educacao,sociedade,escolas,ministerio-educacao,
Fotogaleria
Escola Secundária Almeida Garrett em Vila Nova de Gaia Nelson Garrido
direccaogeral-saude,alunos,educacao,sociedade,escolas,ministerio-educacao,
Fotogaleria
direccaogeral-saude,alunos,educacao,sociedade,escolas,ministerio-educacao,
Fotogaleria

Acrílicos, aulas ao ar livre e idas ao quarto-de-banho fora dos intervalos: estas escolas já estão prontas

Munidos das orientações que já foram sendo dadas pelo Ministério da Educação e a Direcção-Geral da Saúde, várias escolas já definiram as regras para o próximo ano lectivo. Perguntas e respostas, vídeos e simulacros ajudam à adaptação à nova realidade.

Em Vila Nova de Gaia há um conjunto de perguntas e respostas dirigidas a pais e alunos, sobre como vai funcionar a escola, que deixa pouco espaço para dúvidas. No Algarve vai ser feito um “simulacro da nova vida escolar” e vídeos com indicações sobre o regresso às aulas. Em Lisboa há uma escola em que o acrílico vai passar a fazer parte do dia-a-dia: fixo entre lugares nas mesas dentro das salas de aula e pronto a ser colocado, sempre que for preciso, nos outros espaços do agrupamento. E no Alentejo há um 7.º ano que vai mudar-se para a escola ao lado daquela onde funcionaria em tempos normais, porque ali há salas vagas. Enquanto aguardam pelas orientações mais específicas que a Direcção-Geral da Saúde (DGS) divulgou esta sexta-feira já ao final do dia, várias escolas não ficaram à espera e puseram mãos à obra, desenhando o regresso às aulas baseando-se nas regras já existentes. Entre a confiança, algum receio e o reconhecimento de que tudo isto é uma experiência e logo se vê como vai correr, os directores garantem que as suas escolas estão prontas para o arranque do ano.