Reservas de britânicos para Portugal disparam com abertura do corredor aéreo

Turistas britânicos optam pelo Algarve em vez de Espanha, França ou Croácia, países agora na “lista negra” do Reino Unido. Companhias aéreas confirmam aumento da procura.

Foto
Rui Gaudencio

abertura do corredor aéreo entre Reino Unido e Portugal iniciou-se na madrugada de 22 de Agosto. Desde então, as reservas de viagens de britânicos para Portugal aumentaram mais de 700%, avança o Jornal de Notícias (JN).

O JN contactou a operadora turística On The Beach (OTB), uma das maiores no mercado britânico, que revelou que houve um aumento de 723% nas reservas para Portugal, face ao período antecedente do anúncio do governo de Boris Johnson. Segundo a operadora, 72% das reservas são para viagens em Setembro e Outubro.

Por outro lado, em declarações ao semanário Expresso, João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), diz que “se verificou um aumento grande de novas reservas, de pessoas que iam para outros destinos, como Espanha, França ou Croácia, e acabam agora por vir ao Algarve”. Esta situação poderá estar relacionada com o aumento de casos de covid-19 nos respectivos países, que agora encontram-se na “lista não segura” do Reino Unido, ou seja, nestes casos os britânicos que visitem esses países terão que fazer quarentena no regresso a casa.

Também o alojamento local viu as reservas subirem. Segundo dados da plataforma AirDna (que monitoriza as reservas do Airbnb), divulgados pelo JN, as reservas aumentaram entre 19,6% (Lagos) e 47% (Carvoeiro), rondando os 44,6% em Quarteira e 42,4% em Albufeira.

Já na hotelaria, Elidérico Viegas, da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), diz, citado pelo JN, que é “preciso tempo para contabilizar o impacto nas reservas”, mas indica que não será possível recuperar os meses que ficaram para trás. Dados da AHETA, divulgados pelo Expresso, mostram que em Julho a queda de dormidas de britânicos no Algarve foi de 93,2% relativamente ao período homólogo.

O sector da aviação também animou com a decisão do governo britânico. Os bilhetes de avião para Faro dispararam entre 400% a 1250%, segundo o JN. Além disso, o número de passageiros britânicos duplicou no aeroporto de Faro, avança o Expresso.

A EasyJet não indica valores mas confirma o aumento da procura de voos entre os dois países. Já a concorrente Ryanair anunciou esta quarta-feira, em comunicado que, entre 11 de Setembro e 24 de Outubro, irá acrescentar 14 voos semanais entre 12 aeroportos do Reino Unido e Faro.

Companhias como a Jet2 ou a TUI Fly retomaram voos que estavam suspensos, diz o Expresso. A Jet2, logo a 24 de Agosto, iniciou um plano de voos para Faro de oito cidades britânicos, incluindo Belfast, Londres e Edimburgo. Mais tarde, a 29 de Agosto, a TUI Fly retomará, a partir de quatro destinos britânicos, os voos para o Algarve.

Segundo o semanário, a British Airways vai aumentar os seus voos semanais para Lisboa, Porto e Faro. Só para Lisboa, em Setembro, a companhia terá reposto cerca de 90% da oferta que tinha em 2019, antes da pandemia.

A TAP continua a não ligar o Reino Unido a Faro, mas garante ao JN e Expresso que a procura entre Reino Unido e Portugal “tem sido expressiva” e que se encontra, agora, entre os três primeiros mercados. Actualmente a TAP tem 30 viagens semanais entre Londres ou Manchester e Lisboa, Porto, Açores e Madeira.