Fotogaleria

Vários países juntam-se aos EUA contra racismo e violência policial. Portugal protesta no sábado

Protestos na Cidade do Cabo, na África do Sul, contra a morte em de George Floyd e de Collins Khoza, morto pelas forças de segurança sul-africanas durante o período de confinamento devido à pandemia de covid-19 [3 de Junho de 2020] REUTERS/Mike Hutchings
Fotogaleria
Protestos na Cidade do Cabo, na África do Sul, contra a morte em de George Floyd e de Collins Khoza, morto pelas forças de segurança sul-africanas durante o período de confinamento devido à pandemia de covid-19 [3 de Junho de 2020] REUTERS/Mike Hutchings

A morte de George Floyd, sufocado pelo joelho do polícia Derek Chauvin, desencadeou uma onda de protestos contra o racismo e a violência em várias cidades norte-americanas nos dias seguintes, e a indignação replicou-se um pouco por todo o mundo. De cidades europeias até à Austrália, milhares de manifestantes têm-se reunido (nem sempre de forma pacífica) em apoio ao movimento Black Lives Matter, contra as alegações de abuso de prisioneiros negros, as desigualdades sociais e económicas e o racismo institucional que persiste em países com passado colonial.

Para a tarde de sábado, estão marcadas manifestações em várias cidades portuguesas.

O SOS Racismo e outros colectivos anti-racistas, antifascistas e estudantis vão estar presente numa manifestação em Lisboa, na Alameda, "para combater a violência  policial e o racismo para resgatar um futuro coletivo de igualdade e dignidade", em vésperas dos 25 anos do assassinato de Alcindo Monteiro. A manifestação está marcada para as 16h45.

Também estão previstas mobilizações para o Porto, às 18h30, na Avenida dos Aliados; em Braga, às 17h, na Avenida Central; em Coimbra, às 17h30, na Praça da República; e em Viseu, às 18h, no Rossio. 

Veja também:

Manifestantes de joelho no chão e punho cerrado em Trafalgar Square, Londres, durante um protesto <i>Black Lives Matter</i> [3 de Junho de 2020]
Manifestantes de joelho no chão e punho cerrado em Trafalgar Square, Londres, durante um protesto Black Lives Matter [3 de Junho de 2020] REUTERS/Dylan Martinez
Manifestantes em Istambul, na Turquia, em confrontos com a polícia durante os protestos,Manifestantes em Istambul, na Turquia, em confrontos com a polícia durante os protestos [3 de Junho de 2020]
Manifestantes em Istambul, na Turquia, em confrontos com a polícia durante os protestos,Manifestantes em Istambul, na Turquia, em confrontos com a polícia durante os protestos [3 de Junho de 2020] REUTERS/Umit Bektas
Manifestantes deitados no chão durante os protestos em frente à embaixada norte-americana em Varsóvia, na Polónia, contra a violência policial [3 de Junho de 2020]
Manifestantes deitados no chão durante os protestos em frente à embaixada norte-americana em Varsóvia, na Polónia, contra a violência policial [3 de Junho de 2020] REUTERS/Kacper Pempel
Um agente da polícia de choque passa pelas chamas durante uma manifestação contra a morte de George Floyd, à porta da embaixada dos Estados Unidos em Atenas, na Grécia [3 de Junho de 2020]
Um agente da polícia de choque passa pelas chamas durante uma manifestação contra a morte de George Floyd, à porta da embaixada dos Estados Unidos em Atenas, na Grécia [3 de Junho de 2020] REUTERS/Alkis Konstantinidis
Manifestante com uma máscara em que se pode ler "A vida do meu filho importa" durante protestos em Birmingham, no Reino Unido, contra a morte de George Floyd [3 de Junho de 2020]
Manifestante com uma máscara em que se pode ler "A vida do meu filho importa" durante protestos em Birmingham, no Reino Unido, contra a morte de George Floyd [3 de Junho de 2020] REUTERS/Jason Cairnduff
Um polícia ajoelha-se diante dos manifestantes perto de Downing Street, em Londres, durante um protesto <i>Black Lives Matter</i> [3 de Junho de 2020]
Um polícia ajoelha-se diante dos manifestantes perto de Downing Street, em Londres, durante um protesto Black Lives Matter [3 de Junho de 2020] REUTERS/Toby Melville
Protestos contra a morte de George Floyd em Roterdão, nos Países Baixos [3 de Junho de 2020]
Protestos contra a morte de George Floyd em Roterdão, nos Países Baixos [3 de Junho de 2020] REUTERS/Eva Plevier
Em Estocolmo, na Suécia, milhares de pessoas também se reuniram para um protesto de solidariedade com o movimento <i>Black Lives Matter</i> [3 de Junho de 2020]
Em Estocolmo, na Suécia, milhares de pessoas também se reuniram para um protesto de solidariedade com o movimento Black Lives Matter [3 de Junho de 2020] Jonas Ekstromer/TT News Agency via REUTERS
Manifestantes com cartazes durante um protesto em frente ao consulado dos Estados Unidos em Barcelona, Espanha [3 de Junho de 2020]
Manifestantes com cartazes durante um protesto em frente ao consulado dos Estados Unidos em Barcelona, Espanha [3 de Junho de 2020] REUTERS/Nacho Doce
Em Paris, França, os protestos contra a morte de George Floyd também serviram para relembrar Adama Traore, um francês de 24 anos morto em 2016 pela polícia. A manifestação não foi autorizada devido às medidas contra a covid-19 e a polícia utilizou gás lacrimogéneo para dispersar os participantes [2 de Junho de 2020]
Em Paris, França, os protestos contra a morte de George Floyd também serviram para relembrar Adama Traore, um francês de 24 anos morto em 2016 pela polícia. A manifestação não foi autorizada devido às medidas contra a covid-19 e a polícia utilizou gás lacrimogéneo para dispersar os participantes [2 de Junho de 2020] REUTERS/Gonzalo Fuentes
Protestos em Sydney, na Austrália, contra a morte de George Floyd [2 de Junho de 2020]
Protestos em Sydney, na Austrália, contra a morte de George Floyd [2 de Junho de 2020] REUTERS/Loren Elliott
Milhares de pessoas protestam em Amsterdão, nos Países Baixos, contra a morte de George Floyd [1 de Junho de 2020]
Milhares de pessoas protestam em Amsterdão, nos Países Baixos, contra a morte de George Floyd [1 de Junho de 2020] Reuters/EVA PLEVIER
Sugerir correcção