Torne-se perito

Tio Tomás e Purpleboy repartem o Grande Prémio SPA/Vasco Granja 2020

Os prémios do festival Monstra, cuja edição de 2020 decorreu apenas online, foram anunciados este domingo. Para os filmes de Regina Pessoa e Alexandre Siqueira, é mais uma distinção a somar-se às que já tinham recebido dentro e fora do país.

regina-pessoa,cinema-animacao,cinema-portugues,cinema,culturaipsilon,monstra,
Foto
Tio Tomás, a Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa, já acumulou um extenso palmarés

As curtas-metragens portuguesas Tio Tomás, a Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa, e Purpleboy, de Alexandre Siqueira, venceram o Prémio SPA/Vasco Granja atribuído pelo festival Monstra.

Os filmes vencedores da edição deste ano foram anunciados este domingo por Fernando Galrito, director artístico do Festival de Animação de Lisboa, numa cerimónia online que juntou realizadores de todo o mundo. “Devido à qualidade extremamente elevada da selecção, o júri decidiu, por unanimidade, repartir o Grande Prémio SPA/Vasco Granja entre dois títulos de qualidade excepcional, reconhecidos internacionalmente, que se tornarão certamente dois marcos na rica história da animação portuguesa”, argumentou o júri da competição portuguesa, composto por Luís Salvado, Natalie Woolf e Ülo Pikkov.

Em Tio Tomás, a Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa, o júri sublinha o “talento da realizadora” ao tornar “universal” uma história “muito pessoal”, classificando como “excepcional o trabalho de animação, de música e de narrativa”. No caso de Purpleboy, de Alexandre Siqueira, os jurados elogiam o “trabalho de animação” e uma “abordagem sofisticada à narração dos temas complexos da identidade de género, da política e da relação entre um pai e a sua criança”. Os dois realizadores vão partilhar o prémio de três mil euros.

Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias é um filme distribuído e promovido pela Agência da Curta-Metragem e co-produzido entre Portugal (Abi Feijó, Ciclope Filmes), França (Reginald de Guillebon, Les Armateurs) e Canadá (Julie Roy, ONF).  Desde a estreia, em Junho do ano passado, na Croácia, a curta de 13 minutos foi já distinguida em vários festivais, entre os quais o de Annecy, em França, com o Prémio Especial do júri, o festival Animamundi, no Brasil, e o Caminhos do Cinema Português, em Coimbra. Em Janeiro deste ano, venceu na América o prémio de Melhor Curta-Metragem nos Annie, considerados os “Óscares” do cinema de animação. Já em Abril, venceu o Prémio de Excelência na competição de curtas-metragens do Festival de Cinema de Animação de Tóquio.

Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias é uma homenagem ao tio de Regina Pessoa, “um homem humilde e um pouco excêntrico, que teve uma vida simples e anónima”, e foi criado “a partir das memórias afectivas e visuais” da infância da realizadora. “Com este filme, eu gostaria de testemunhar que não é preciso ser-se alguém para se ser excepcional na nossa vida”, diz a autora na sinopse da sua obra.

Purpleboy, que também havia sido nomeado para os prémios Annie, já venceu o prémio de melhor curta-metragem do Festival Internacional de Animação de Pernambuco, no Brasil. O filme de Alexandre Siqueira, uma co-produção da Bando à Parte com a França e a Bélgica, aborda a questão da identidade de género e gira em torno de uma criança que cresce no jardim dos pais, com o corpo a desenvolver-se no subsolo, sem que ninguém conheça o seu sexo biológico, nem o próprio, apesar de saber perfeitamente aquilo que quer ser. A curta-metragem já tinha sido também distinguida em 2019 no Festival Curtas Vila do Conde, como melhor filme de animação.

O Monstra atribuiu ainda, na competição portuguesa, menções honrosas aos filmes O Peculiar Crime do Estranho Sr Jacinto, de Bruno Caetano, e A Mind Sang, de Vier Nev. O Grande Prémio RTP foi atribuído à curta-metragem Freeze Frame, de Soetkin Verstegen, uma co-produção belga e alemã. O júri, composto por Daniel Gorjão, Noel Palazzo, Marta Madureira, Raimund Krumme e Wiola Sowa, justificou a decisão com “a estética singular, a técnica de animação apurada e exímia e a novidade e frescura” do filme.

O filme Don"t Know What, de Thomas Renoldner, recebeu o prémio de Melhor Curta Experimental; Traces, de Hugo Frassetto, recebeu o Prémio Especial do Júri; e Tio Tomás, a Contabilidade dos Dias, de Regina Pessoa, o prémio de Melhor Curta Portuguesa.

Na categoria Curtíssimas, dedicada a filmes com menos de dois minutos, os vencedores foram Dots, de Micky Wozny, na competição internacional, e Catarse, de Margarida Roxo Neves e Tiago Gomes, na competição portuguesa. Na Competição de Estudantes, o filme 2.3 x 2.6 x 3.2, de Jiaqi Wang (China), recebeu o prémio de Melhor Curta de Estudantes Internacional, no valor de mil euros, e Ode to Childhood, dos realizadores João Monteiro e Luís Vital, o prémio de Melhor Curta de Estudantes Portuguesa, no valor de 1500 euros. Os prémios que resultam da votação do público vão ser conhecidos na segunda-feira.

O Monstra –​ Festival de Animação de Lisboa, que viu a edição comemorativa dos seus 20 anos adiada devido à pandemia de covid-19, exibiu online, entre 25 e 31 de Maio, os filmes seleccionados para as secções competitivas.

Sugerir correcção