Fisco começou a questionar quem aderiu às amnistias fiscais

Cidadãos que esconderam património e regularizaram IRS com taxas baixas nos regimes excepcionais começaram a ser sinalizados pela administração tributária. Entre advogados há quem defenda que contribuintes podem recusar-se a colaborar.

Veículo de luxo
Foto
A AT tem serviços de inspecção na Avenida Duque d’Ávila, em Lisboa Pedro Fazeres

A administração tributária começou a questionar os contribuintes que ocultaram património no estrangeiro e só regularizaram essas quantias numa das três amnistias fiscais lançadas pelos Governos de José Sócrates e Pedro Passos Coelho em 2005, 2010 e 2012.