PS admite recorrer ao Constitucional por causa dos diplomas sobre sócios-gerentes

Vice-presidente da bancada socialista considera que há uma violação da norma-travão prevista na lei fundamental, mas Bloco de Esquerda discorda.

João Paulo Correia assume discordar do BE e diz que a norma-travão se aplica sem excepções
Foto
João Paulo Correia assume discordar do BE e diz que a norma-travão se aplica sem excepções Nuno Ferreira Santos

O PS admite vir a recorrer ao Tribunal Constitucional se o Parlamento e, depois, o Presidente da República derem luz verde aos diplomas que prevêem apoios para sócios-gerentes de empresas. A possibilidade é admitida ao PÚBLICO por João Paulo Correia, vice-presidente da bancada socialista, que aponta para uma violação da norma-travão da Constituição que existe para não sobrecarregar o Estado com despesas não previstas no Orçamento.