Adele emagreceu. É um exemplo? Celebridades têm “responsabilidades sociais” quanto à perda de peso, alerta especialista

A recente mudança da cantora e compositora levou público a questionar os métodos usados pela artista para perder peso. Nutricionista considera importante que as celebridades “sejam honestas”.

Foto
Miguel Manso

O regresso de Adele ao Instagram já conta com quase dez milhões de gostos na sua última publicação. Quase cinco meses depois da sua última aparição naquela rede social, a cantora britânica partilhou uma fotografia no dia do seu aniversário em que agradece aos profissionais de saúde e trabalhadores britânicos que lutam contra a pandemia de covid-19. Porém, não foi o texto, mas a aparência da cantora de 32 anos que motivou a surpresa entre os seus seguidores. Aparentemente, perdeu 45 quilos, diz a imprensa. 

Os elogios dos fãs não se fizeram esperar, mas outros questionaram os métodos utilizados para esta mudança. “Para muitas pessoas, sobretudo mulheres com problemas de peso, a Adele era como uma ‘companheira de luta’ e, claro, que esta transformação pode trazer alguma frustração”, começa por dizer o nutricionista Pedro Carvalho.

Para o doutorado em ciências do consumo alimentar e nutrição, as figuras públicas têm uma responsabilidade social maior, no que toca às questões relativas à saúde e à perda de peso em particular. “É importante que sejam honestos e virem a público contar como aquilo aconteceu. O problema é quando as figuras públicas demonstram perdas de peso incríveis devido a intervenções cirúrgicas, mas não o divulgam e dão a entender que os resultados foram conseguidos só com dieta e treino”, ressalva.

Embora considere que “logicamente as pessoas com mais recursos financeiros têm sempre muito mais condições para perder peso”, o especialista nota que, caso se opte pela forma tradicional de dieta e exercício físico, “por mais possibilidades financeiras que a pessoa tenham, não há nada que valha a não ser o esforço e motivação”.

Apesar de Adele não ter partilhado mais informações sobre o seu processo, o nutricionista revela que “essa transformação é possível sem recurso a cirurgias ou até personal trainers”, como indicavam alguns dos comentários à publicação partilhada pela cantora.

Seguir dietas das celebridades?

Perante as dietas e produtos que prometem resultados milagrosos e que são promovidos por figuras públicas e influenciadores nas redes sociais, Pedro Carvalho aconselha uma postura crítica por parte dos seguidores.

“O que não falta por aí são influenciadores que dão a cara exclusivamente por razões monetárias e não praticam as dietas ou tomam os suplementos que publicitam”, alerta o especialista que já trabalhou directamente com diversas figuras públicas. “É importante que as pessoas tenham presente que ser uma cantora ou uma actriz famosa não traz consigo competências ao nível da saúde”, remata.

Se, por um lado, seguir a dieta de uma celebridade, nas redes sociais, “até pode dar certo porque basta que haja uma restrição calórica”; por outro, o nutricionista alerta para a publicidade aos suplementos para a perda de peso. “Não há um único suplemento com resultado a nível de perda de peso. A utilização de fármacos é outra coisa, mas, no caso de suplementos alimentares, nenhum resulta”, avisa.

Embora revele que o consumo de estimulantes como a cafeína possa aumentar um pouco o gasto calórico, isso “não é propriamente relevante para a perda de peso”. O especialista acrescenta ainda que produtos como “CLA, L-Carnitina, drenantes, chás detox”, muito publicitados em redes sociais como o Instagram, “tudo isso é completamente inútil”.