Tesouras desinfectadas, intervalos e avisos. As regras para voltar ao cabeleireiro ou ao dentista

Há regras para os espaços, mas também para os clientes. A poucas horas do início do estado de calamidade, o PÚBLICO resume algumas das regras que estarão em vigor durante as próximas semanas.

,Saúde
Foto
Daniel Rocha

Na próxima segunda-feira, vários estabelecimentos voltarão a abrir portas depois do encerramento imposto durante o período de estado de emergência. Mas há regras. Para garantir a segurança dos trabalhadores e utentes, a Confederação do Comércio e a Direcção-geral de Saúde assinaram um protocolo com guias para os diversos tipos de comércio, incluindo estabelecimentos comerciais e restauração, venda e reparação automóvel, cabeleireiros e esteticistas e ópticas. Além das regras de segurança geral, o Governo e a autoridade de saúde reuniram um conjunto de normas específicas para que cada estabelecimento possa reabrir as portas.

Há regras para os espaços, mas também para os clientes. A poucas horas do início do estado de calamidade, o PÚBLICO resume algumas das regras que estarão em vigor durante as próximas semanas. 

Regras gerais

  • Elaboração de um plano de contingência adaptado à fase actual;
  • As empresas podem recusar a entrada de pessoas com sintomas de covid-19;
  • Enquanto aguardam pelo atendimento, os clientes devem esperar na rua;
  • Depois de atendidos, não devem ficar no interior do estabelecimento;
  • Nada de beijos, abraços ou cumprimentos de mão (só verbais ou com aceno de cabeça);
  • Manter as portas abertas para minimizar o contacto com puxadores;
  • Disponibilizar desinfectante à entrada e incentivar o seu uso;
  • Devem ser os clientes a tirar e pousar o casaco ou chapéu-de-chuva no bengaleiro;
  • Evitar levar sacos para os estabelecimentos;
  • Afixar as instruções da Direcção-Geral da Saúde sobre a lavagem correcta das mãos;
  • Os pagamentos devem ser preferencialmente feitos através de meios sem contacto ou de multibanco;
  • A máquina de multibanco deve ser desinfectada a cada utilização;
  • Se for usado dinheiro, usar um tabuleiro para o pagamento e troco;
  • O sistema de ventilação não deve ser colocado no modo de recirculação do ar e em espaços fechados devem abrir-se as portas ou janelas.

Cabeleireiros e centros de estética

Os materiais de trabalho, incluindo escovas, mesas de manicura, limas, pentes e tesouras, devem ser desinfectados entre o atendimento de cada cliente. Os funcionários devem usar máscara cirúrgica, óculos de protecção ou, de preferência, viseiras, e o calçado e roupa devem ser de uso exclusivo, lavada diariamente e “quando possível trocada entre clientes ou descartável”. Os funcionários devem também “evitar as unhas de gel, gelinho e unhas compridas que impedem os profissionais de higienizar adequadamente as suas mãos”. Deve ser ainda evitado o uso de anéis e pulseiras, pelas mesmas razões. É também proibida a oferta de comida (ou de café, chá ou outra bebida). No caso da água, se for mesmo necessário, pode oferecer garrafas pequenas. Não podem existir revistas, tablets ou panfletos. Os clientes não devem tocar nos produtos que estejam à venda e devem ser removidos os produtos testers. Leia mais sobre as mudanças.

Ópticas

O chão deve ser lavado com água e detergente pelo menos duas vezes por dia. Só pode haver um cliente por cada 20 metros quadrados. Além disso, a Associação de Ópticos recomenda consultas com 45 minutos de intervalo entre pacientes para desinfecção. Os óculos devem ser limpos regularmente com água e sabão e secos com o pano de microfibra de uso específico e exclusivo para o efeito.

É recomendado sempre que possível o uso de aparelhos de exame e diagnóstico em que não se verifique uma proximidade com o paciente. Deve ainda ser evitado o uso do óculo de prova, devido ao facto de apresentar elevado número de parte móveis, peças, rebordos, que tornam a limpeza e desinfecção mais difíceis.

À noite e fins-de-semana, não desligar a ventilação, mas manter os sistemas a funcionar à velocidade mais baixa. Leia mais sobre as regras nas ópticas.

Oficinas e stands de automóvel

No documento assinado pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP), pela Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel (ANECRA) e pela Associação Nacional do Ramo Automóvel ARAN), as idas à oficina estão também sujeitas a marcação e os test drive só mesmo se exigidos pelo cliente e quando indispensável (no final deve ser desinfectado e colocado de quarentena). Todas as intervenções de mecânicos, por exemplo, devem começar e acabar sempre com a desinfecção de todos os pontos de contacto dentro e fora dos carros, incluindo chaves, portas, puxadores, volantes, travão de mão, caixa de velocidades (mudanças) e outros manípulos.

Devem ser instaladas barreiras físicas, como por exemplo painéis de vidro ou acrílico, no atendimento ao público, onde os trabalhadores têm obrigatoriamente de usar máscaras ou viseiras. Todos os contactos com fornecedores e clientes devem ser à distância e não podem entrar pessoas externas na empresa. Quando isso não for possível, só podem entrar com máscara.

Deve ainda haver uma garantia de que os trabalhadores estão divididos em turnos e horários desfasados, rotativos ou alternados.

Os panos de limpeza devem ser, preferencialmente, descartáveis (usar e deitar fora). Nos momentos de refeição, também não deve existir partilha de alimentos e os colaboradores devem usar utensílios descartáveis. Leia mais sobre as mudanças.

Táxis e Uber também têm novas regras. Dentistas reabrem

Ainda que não se incluam na assinatura do protocolo, há também novas regras para os táxis e serviços de transporte: os bancos dianteiros devem ser utilizados apenas pelo motorista, devendo ainda ser acautelada a renovação do ar interior das viaturas e a limpeza das superfícies. Leia mais sobre as mudanças

Na sexta-feira, a DGS deu também a reconhecer novas regras para os dentistas. Nenhum consultório de dentista deverá atender utentes sem marcação prévia (por email ou telefone). Todos os espaços deverão disponibilizar máscaras cirúrgicas que devem ser usadas até estar em consulta. Doentes com covid-19 podem ser atendidos ao final da manhã ou da tarde. Leia mais aqui.

Sugerir correcção