Trump diz ter indícios fortes de que vírus saiu de laboratório em Wuhan

Contrariando a Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos, que diz não haver indícios de um vírus manipulado, Presidente voltou a atacar Pequim, dizendo que a pandemia poderia ter sido “contida com relativa facilidade”.

Foto
Donald Trump voltou a atacar o Governo chinês LUSA/JIM LO SCALZO

Depois de acusar a China de querer travar a sua reeleição, Donald Trump voltou a acusar o Governo de Xi Jinping de falta de transparência quanto às acções tomadas em relação ao vírus, insinuando que a China talvez não tenha desejado conter o vírus propositadamente.

“É horrível o que este país passou e o mundo também. Acho que [o vírus] poderia ter sido contido com relativa facilidade. Acho que eles não conseguiram ou não o quiseram fazer. A China é um país sofisticado. O mundo sofreu muito”, afirmou Trump, quando questionado sobre as declarações do genro, Jared Kushner, que classificou a acção do Governo norte-americano como uma “história de sucesso”.

Na manhã desta quinta-feira, a Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos, grupo de 17 agências governamentais que conduzem operações consideradas vitais para a segurança nacional do país, adiantou não acreditar que o novo coronavírus foi criado por humanos ou geneticamente modificado. Estas agências continuam a investigar se o vírus teve origem animal, se escapou ou, ainda, se foi o resultado de um acidente num laboratório em Wuhan. Apesar de não existir uma reposta conclusiva desta organização, Trump diz existirem fortes indícios quanto à segunda opção, quando questionado sobre o veredicto destas agências.

“Acho que a Organização Mundial de Saúde [OMS] devia ter vergonha por serem uma agência de relações públicas para a China. Este país paga-lhes 500 milhões de dólares por ano e a China 38. Se é muito ou mais, não importa. Não devem dar desculpas quando as pessoas cometem erros graves. Especialmente quando são erros que provocam centenas de milhares de mortes”, reiterou Trump. 

O ataque ao Governo chinês foi o principal tema desta conferência, na qual o Presidente norte-americano voltou a elogiar a atitude de restringir a entrada de viajantes da China no país.

“Digo que [o vírus] provavelmente fugiu de controlo, mas como é que pararam os aviões de entrarem na China e não pararam os aviões de virem para os Estados Unidos ou os países europeus? Olhem para a Itália, vejam o que aconteceu lá. Tivemos sorte que eu apliquei uma restrição à China atempadamente. Se não o fizéssemos iríamos ter um problema como nunca acreditariam. Muitas dessas pessoas [chineses] foram para a Itália. Quero descobrir o que aconteceu e acho que teremos uma conclusão muito forte sobre o que aconteceu. Estamos a trabalhar nisso, mas eles podiam ter parado [o vírus]. São uma nação brilhante, cientificamente e no resto”, afirmou Trump.

Segundos após ter proferido as palavras, o Presidente foi confrontado com uma publicação no Twitter onde elogiava o combate do Governo chinês à pandemia. Trump diz que a forma como o vírus saiu do país é “inaceitável” e que foi esse aspecto que o fez mudar de ideias quanto ao país.

Sugerir correcção