Covid-19: APSI dá dicas para prevenir acidentes domésticos em dias de isolamento social

O isolamento social, que confina as famílias às suas casas, ajuda a achatar a curva de casos positivos do novo coronavírus, mas também pode resultar em mais acidentes domésticos.

Foto
Os cuidados com as janelas e varandas devem ser redobrados numa altura em que se passa mais tempo em casa Andrew Seaman/Unsplash

No sentido de promover o abrandamento da propagação do surto de covid-19, há famílias em casa há mais de duas semanas, com crianças não menos curiosas do que o costume e pais mais atarefados do que antes — ora porque estão em teletrabalho, ora porque, pura e simplesmente, estão mais preocupados do que o costume.

O resultado, avisa a Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI), é o aumento de “possibilidade de acidentes domésticos”, tendo na última semana registado incidentes graves, entre quedas de varandas, acidentes com gás ou mesmo com armas de fogo.

Para também achatar a curva dos acidentes domésticos, a associação divulgou nesta terça-feira um comunicado com várias dicas, cuja intenção é manter as crianças em segurança e as famílias afastadas dos serviços de urgências hospitalares.

Para menores até aos 5 anos, aconselha-se a utilização de “um limitador de abertura” nas janelas e portas de acesso a varandas, que não abra mais de 9 cm; nunca deixar móveis ou cadeiras junto a janelas nem brinquedos nas varandas; não transportar líquidos quentes (como a sopa acabada de fazer) com crianças por perto; guardar todos os produtos de limpeza imediatamente após a sua utilização em armários altos e trancados; despejar a água dos baldes logo depois de limpar a casa; e confirmar que as estantes e armários altos estão bem fixos à parede.

No entanto, não é apenas esta faixa etária que corre o risco de acidentes e a APSI alerta para um cuidado extra com as crianças mais velhas e os adolescentes, já mais autónomos, mas ainda assim menos focados do que um adulto quando executam uma tarefa. Daí que a associação alerte para a necessidade de ensinar a fazer as mais variadas coisas em segurança: acender fósforos de dentro para fora, a cortar alimentos com a lâmina afastada dos dedos, a usar pequenos electrodomésticos com as mãos bem enxutas.

Outros conselhos incluem nunca secar o cabelo na casa de banho, colocar sempre o tapete antiderrapante na banheira ou polibã; não sobrecarregar as fichas eléctricas com vários aparelhos; nunca sentar em parapeitos.

“A APSI sabe que o tempo é de grandes desafios para as famílias”, lê-se no comunicado, onde a associação informa estar a trabalhar no sentido de aconselhar ou esclarecer dúvidas relacionadas com a segurança em casa.