Coronavírus: no meio da guerra de palavras, Trump e Xi desviam críticas internas

Presidentes falaram pela primeira vez desde Janeiro e prometeram colaborar no combate à pandemia. Acusações mútuas nas últimas semanas serviram também para justificar erros no combate ao novo coronavírus.

Os líderes dos Estados Unidos e da China são acusados de cometerem erros no início do surto nos seus países
Foto
Os líderes dos Estados Unidos e da China são acusados de cometerem erros no início do surto nos seus países Jonathan Ernst (Arquivo)

A conturbada relação entre os Estados Unidos e a China, ora marcada pelos elogios de Donald Trump à capacidade de liderança de Xi Jinping, ora minada por uma guerra económica que chegou a cortar a respiração ao resto do mundo, parece ter entrado, mais uma vez, numa fase de reaproximação. Na madrugada desta sexta-feira, os dois líderes falaram ao telefone e concordaram que têm de colaborar no combate à pandemia do novo coronavírus, depois de um período em que as teorias da conspiração e as provocações constantes foram disfarçando as críticas internas às respostas inicias dos dois países no combate à covid-19.