Líder da JSD sugere adiamento de exames nacionais

Margarida Balseiro Lopes refere que os alunos estão a viver momentos de “incerteza”.

Margarida Balseiro Lopes defende uma reflexão sobre a escola perante a necessidade de fazer ensino à distância
Foto
Margarida Balseiro Lopes defende uma reflexão sobre a escola perante a necessidade de fazer ensino à distância Rui Gaudencio

A líder da JSD, Margarida Balseiro Lopes, apela a que os exames nacionais previstos para Junho sejam adiados pelo menos um mês e que se alterem os prazos das candidaturas ao ensino superior.

“Não acho razoável estar a fazer os exames antes de Julho e, por maioria de razão, os restantes prazos têm de ser alterados”, afirma ao PÚBLICO a deputada do PSD, lembrando que os alunos estão a viver uma grande incerteza sobre esses momentos de avaliação. 

A primeira fase dos exames nacionais (9.º, 11.º e 12.º) está marcado para Junho e a primeira fase das candidaturas ao ensino superior inicia-se a 21 de Julho. Até agora o calendário foi alterado e ainda não foi tomada qualquer decisão sobre as notas do 3.º período, de acordo com o gabinete do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, depois de o Expresso ter noticiado que as notas do 2.º período poderiam ser as últimas do ano escolar. A inscrição para os exames está a ser feita através da Internet. 

Margarida Balseiro Lopes considera que o encerramento das escolas desde 13 de Março tem colocado “várias condições de desigualdade” entre os alunos, por causa do acesso à internet e à falta de computadores em casa. “As próprias qualificações dos encarregados de educação acentuam as desigualdades”, diz.

A líder da JSD defende que “há lições” a aprender no ensino com esta pandemia. “Deve haver uma reflexão como é que a escola de deve adaptar a estas situações”, diz, admitindo que neste momento a escola “não tem grandes alternativas para oferecer” aos alunos e às famílias.

Esta segunda-feira, o Ministério da Educação anunciou a criação de uma brigada de profissionais que estão disponíveis para acompanhar e dar apoio às escolas na sua adaptação ao ensino à distância.

As escolas estão encerradas até 9 de Abril, dia em que a situação será reavaliada pelo Governo. 

Sugerir correcção