Coronavírus: vírus pode sobreviver no ar até 30 minutos

O estudo indica ainda que pode contagiar alguém a 4,5 metros, metendo assim em causa o conselho das autoridades de saúde de todo o mundo que avisam para manter uma “distância de segurança” de um a dois metros.

Pesquisas sobre a covid-19 intensificam-se
Foto
Pesquisas sobre a covid-19 intensificam-se LUSA/NIAID- RML/NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH HANDOUT

Nota: o estudo no centro deste artigo foi retirado esta terça-feira da página da revista Practical Preventive Medicine. Não é ainda conhecido o motivo desta decisão.

O novo coronavírus pode sobreviver no ar por pelo menos 30 minutos e contagiar alguém a 4,5 metros, ou seja, mais do que a “distância segura” recomendada pelas autoridades de saúde de todo o mundo, segundo um estudo publicado por cientistas chineses na revista Practical Preventive Medicine na última sexta-feira. Este artigo não foi ainda revisto pelos pares.

O estudo, realizado por epidemiologistas do Governo chinês e divulgado pela imprensa local, garante que o vírus pode “durar dias” em superfícies onde tenham caído gotas respiratórias infectadas, o que aumenta o risco de infecção caso se toque na superfície e se esfregue a mão no rosto.

O tempo que o vírus dura depende de factores como a temperatura: por exemplo, a cerca de 37 graus Celsius, o vírus pode sobreviver entre dois e três dias em materiais como vidro, tecido, metal, plástico ou papel.

As descobertas desafiam o conselho das autoridades de saúde de todo o mundo de que as pessoas devem permanecer separadas por uma “distância segura” de entre um e dois metros.

O número de pessoas infectadas desde Dezembro passado pelo novo coronavírus em todo o mundo aumentou para 114.151, entre as quais morreram 4012, segundo um balanço feito pela agência noticiosa France-Presse (AFP), com dados actualizados esta terça-feira de manhã.

Citando fontes oficiais, a AFP diz que, no total, foram registadas em 105 países e territórios 898 contaminações e 48 novas mortes desde o último balanço, às 17h de domingo.

A China continental (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia eclodiu no final de Dezembro, teve 80.754 casos, incluindo 3.136 mortes. Entre as 17h de domingo e as 9h desta terça-feira foram anunciadas 19 novas infecções e 17 novas mortes no país.

Em outras partes do mundo, foram registados 33.397 casos (877 novos) até às 9h desta terça-feira, incluindo 876 mortes (31 novas).

Sugerir correcção