Ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa é empresário, apesar de a lei não lho permitir

Firma ligada à arbitragem extrajudicial de conflitos foi criada em Maio de 2018 e facturou 190 mil euros em 2018. Vaz das Neves admite que nunca pediu autorização ao Conselho Superior da Magistratura.

Foto

Luís Vaz das Neves, ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa (TRL), constituído recentemente arguido na Operação Lex, processo em que também são suspeitos da prática de crimes o desembargador Rui Rangel e a sua ex-mulher e juíza Fátima Galante, tem uma empresa que facturou 190 mil euros em 2018.