Novo coronavírus afasta gigantes tecnológicas do Mobile World Congress

A organização da feira não pretende cancelar o evento. “Evitar apertos de mão” entre as medidas preventivas.

MWC Barcelona
Foto
A equipa do MWC está a aficar vários cartazes com recomendações de higiene no espaço da feira LUSA/Toni Albir

Primeiro a LG, depois a Nvidia, Ericsson, Amazon, Sony... Com o actual surto de um novo coronavírus, somam-se as empresas de tecnologia a cancelar a presença na edição de 2020 do Mobile World Congress (MWC), a grande feira de Barcelona dedicada ao sector móvel. A justificação é a mesma para todas: evitar viagens desnecessárias para clientes, parceiros, e funcionários numa altura em que a o surto de coronavírus (2019-nCoV) foi declarado como uma emergência global pela Organização Mundial de Saúde.

Até à data, as chinesas Huawei e a Oppo ainda não cancelaram a participação, mas disseram que os executivos a participar na feira, e a viajar do país, ficarão em quarentena 14 dias antes da feira. Já a Xiaomi optou por não convidar jornalistas chineses para a conferência. E a Samsung diz estar a reduzir a sua presença no evento.

A equipa do Mobile World Congress diz que não tem planos para adiar o evento e que já foram tomadas várias medidas preventivas. Num comunicado publicado neste domingo, a organização da feira clarifica que viajantes da província chinesa de Hubei, onde o surto do novo coronavírus teve início, estão proibidos de participar no evento e que todos os viajantes da China têm de provar que saíram do país há mais de 14 dias que, até agora, é o maior período de incubação detectado para a doença. Também serão criados vários pontos de controlo de temperatura ao longo da feira. A par disto, a feira recomenda uma política de “evitar apertos de mão” desnecessários.

Considerado um dos maiores eventos anuais dedicados à indústria móvel, o Mobile World Congress é opção de várias empresas para anunciar novidades e novos smartphones. O ano passado a Huawei escolheu a feira para apresentar o seu primeiro telemóvel dobrável, o Mate X. Este ano, além de novos dobráveis, também são esperadas várias novidades relativamente à tecnologia 5G, que é a quinta geração móvel que permite ligações de Internet ainda mais rápidas.

Alternativas?

As empresas que já desistiram de estar presentes estão a anunciar várias alternativas à participação na feira. Num comunicado enviado aos jornalistas, a japonesa Sony, que por norma usa o evento para apresentar novos topos de gama, clarificou que a conferência de imprensa sobre novos telemóveis da gama Xperia se vai manter para as 8h30 de dia 24 de Fevereiro – mas será transmitida através do canal do YouTube. Já a sul-coreana LG nota que “como forma de compensar a sua ausência” vão ser realizados “diversos eventos num futuro próximo para apresentar os seus produtos” no sector móvel.

O novo coronavírus tem gerado bastante preocupação internacional desde o final de Janeiro, altura em que a Organização Mundial de Saúde decidiu declarar o surto como uma emergência global depois de três reuniões sobre o tema. Ainda se sabe muito pouco sobre o vírus, embora estimativas da OMS apontem para uma taxa de mortalidade em torno 3% – abaixo de outros surtos recentes como o síndrome respiratório agudo severo (SARS), com uma taxa de mortalidade nos 10%, ou e o síndrome respiratória do Médio Oriente (MERS, na sigla em inglês). Só que uma das preocupações em relação ao novo coronavírus 2019-nCoV é maior facilidade com que se transmite entre humanos.

Ainda assim, a equipa do Mobile World Congress, mantém que vai manter as portas do evento abertas, notando que a região da Catalunha não é considerada uma zona de risco. Em declarações à imprensa, Antoni Trilla, líder do serviço de medicina preventiva e epidemiologia do Hospital Clínic de Barcelona, nota que “o sistema de saúde está pronto” para o coronavírus e que os serviços médicos estão a trabalhar em conjunto com a equipa do MWC.

Além de pedir que se evitem apertos de mão e de monitorizar a temperatura dos participantes, a organização da feira de Barcelona diz que a equipa médica presente no evento duplicou em relação ao ano passado, e estão a ser afixadas várias notas sobre bons hábitos de higiene das mãos.