Mortes por coronavírus no epicentro da epidemia já ultrapassam vítimas de SARS

Por todo o mundo, o novo coronavírus já fez 811 vítimas. Província chinesa de Hubei conta 780 mortes. Em 2002 e 2003, o surto de SARS matou 774 a nível global.

Wuhan
Foto
Reuters/STRINGER

O número de mortos na província chinesa de Hubei, na sequência de um surto de coronavírus, subiu este sábado para 780, com mais 81 mortes confirmadas pela comissão de saúde da província na manhã de domingo (hora local).

No total, o surto já matou 811 pessoas, superando o balanço da SARS (Síndrome Respiratório Agudo Severo), que entre Novembro de 2002 e Julho de 2003 matou 774 pessoas em todo o mundo. No entanto, a taxa de mortalidade da SARS era mais elevada, 9,6%, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

Na província de Hubei, epicentro da epidemia, foram confirmados ainda mais 2147 casos de infecção pelo novo coronavírus, lê-se num comunicado da comissão de saúde local, fazendo subir para 27.100 o total de habitantes contagiados pelo vírus.

O balanço da Comissão Nacional de Saúde da China aponta para um total de 37.198 casos de infecção por coronavírus – 6.188 são casos graves. As autoridades fizeram seguimento médico a 371.905 pessoas, que estiveram em contacto com os infectados, dos quais 188.183 continuam em observação.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infecção confirmados em mais de 20 países.

A Organização Mundial de Saúde declarou em 30 de Janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adopção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

As pessoas infectadas podem transmitir a doença durante o período de incubação, que varia entre um dia e duas semanas, sem que o vírus seja detectado.

Sugerir correcção