Crítica

Cozinha tradicional de excelência sem perder a essência: eis o Ferrugem

Em Famalicão, Renato Cunha mostra de forma exemplar como com conhecimento, técnica e criatividade se podem fazer cabidelas ou açordas de alta cozinha.

Foto
Nelson Garrido

É, talvez, o caso mais bem-sucedido de valorização da cozinha tradicional, enriquecendo-a com as técnicas e o conhecimento contemporâneos. Um pouco contra a corrente, não embarcando em modismos ou tendências efémeras, o Ferrugem nunca vacilou no rumo que traçou em 2006 de construir um conceito gastronómico “genuíno e de inspiração artesanal” com o propósito de “narrar uma nova história da cozinha minhota”.