NATO: aos 70 anos, uma crise já pode ser fatal?

Cimeira da NATO para celebrar 70 anos não foge à turbulência que atingiu as relações transatlânticas desde a eleição de Trump. Macron declarou a “morte cerebral” da Aliança. Os aliados europeus não querem ouvir falar de tal coisa.

,Grupo dos Sete
Foto
Trump e Macron: o protagonismo da cimeira da NATO em Londres passa por eles Christian Hartmann/Reuters

Será mais uma cimeira da Aliança Atlântica envolta em polémica, disso já ninguém tem dúvida. E desta vez não é apenas graças à presença de Donald Trump, cujo comportamento é sempre imprevisível, para além do seu confessado desamor pela organização. As declarações recentes do Presidente francês sobre a “morte cerebral” da NATO contribuíram também para aumentar a tensão em torno do futuro e da utilidade da Aliança entre os aliados europeus.