Membro fundador e segundo candidato por Setúbal anuncia afastamento do partido Livre

Sem referir o nome da deputada Joacine Katar Moreira, Miguel Dias fala numa “questão de forma e de postura política” do Livre na qual não se revê. A direcção lamenta a decisão.

,Joacine Katar Moreira
Foto
Joacine Katar Moreira foi eleita pelo círculo de Lisboa LUSA/RODRIGO ANTUNES

Um dos membros fundadores do Livre, Miguel Dias, anunciou terça-feira numa rede social o seu afastamento do partido da papoila, justificando a decisão com “uma questão de forma e de postura política” na qual deixou de se rever.

“Não foi uma decisão fácil nem leviana. É emocionalmente complexa a decisão de abandonar o Livre, partido que ajudei a fundar e ao qual dediquei 6 anos da minha vida. As razões para a minha saída foram explicadas internamente”, lê-se numa das mensagens publicadas pelo candidato às eleições legislativas de Outubro, no Twitter, no segundo lugar da lista de Setúbal do Livre.

Miguel Dias escreveu ainda: “posso adiantar que não estão relacionadas com o conteúdo, pois os meus valores ideológicos e as ideias politicas continuam a condizer em larga medida com o defendido com o partido; antes com uma questão de forma e de postura política na qual não me revejo”.

Em declarações à TSF, o Grupo de Contacto (direcção) do Livre lamenta a saída de Miguel Dias, mas diz encarar com naturalidade a situação. “Ficamos com alguma pena que o Miguel decida desvincular-se do Livre, mas é uma decisão pessoal”, afirmou Pedro Nunes Rodrigues, porta-voz da direcção do Livre. “O grupo de contacto pode apenas agradecer ao Miguel toda a dedicação que deu nos últimos seis anos ao Livre. Foi uma das pessoas mais importantes na dinamização do núcleo do Livre em Setúbal”, disse o porta-voz.

O Livre e a sua deputada única, Joacine Moreira, têm estado envoltos em polémicas desde a eleição da parlamentar, em 6 de Outubro, primeiro devido à gaguez da activista e a consequente necessidade de tolerância nos tempos de intervenção, à qual o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, tem acedido.

Recentemente, foram tornados públicos desentendimentos entre a direcção do partido e a deputada na sequência da abstenção de Joacine Moreira face a um voto de condenação da acção militar israelita na Faixa de Gaza, seguindo-se trocas de acusações de falta de lealdade política ou de falta de solidariedade ainda durante a campanha eleitoral.

Há dois dias, Joacine Moreira entregou no parlamento um projecto de lei sobre a nacionalidade, uma das principais bandeiras do partido nas eleições, mas fora do prazo consensualmente estabelecido na anterior legislatura entre as bancadas dos partidos com assento parlamentar.

Na terça-feira, a deputada única do Livre protagonizou um momento insólito em São Bento, com o seu assessor a pedir a um elemento da Guarda Nacional Republicana para a escoltar a fim de evitar responder a perguntas de jornalistas.

Sugerir correcção