Turcos dispararam contra posto militar dos EUA na Síria

Há mais de 100 mil deslocados por causa dos combates. Curdos negam que a Turquia controle Ras al-Ayn.

Michael Savage
Foto
Milícias árabes apoiadas pela Turquia que estão na vanguarda do avanço no Nordeste da Síria Khalil Ashawi/REUTERS

Um posto avançado norte-americano no Nordeste da Síria foi bombardeado por artilharia turca, o que levou o Pentágono a exigir que Ancara “pare todas as operações que possam levar os Estados Unidos a tomar acções defensivas imediatas”.

“A explosão ocorreu a poucas centenas de metros de uma posição fora da zona de segurança e numa área em que a Turquia sabe existirem forças norte-americanas”, explicou o porta-voz do Pentágono, o capitão da Marinha Brook DeWalt.

As declarações de Ancara são bastante diferentes. O Ministério da Defesa turco disse “não ter disparado contra o posto de observação norte-americano” e que apenas tinham como alvo forças curdas que estavam na zona.

“Isto não foi um erro”, disse no Twitter Brett McGurk, ex-enviado espacial para a coligação global para combater o Daesh, que se demitiu depois de o ex-secretário de Estado da Defesa, James Mattis, apresentar a sua demissão, quando o Presidente Donald Trump anunciou a sua intenção de retirar as forças norte-americanas do Nordeste da Síria, em Dezembro do ano passado.

“As forças turcas dispararam contra um posto militar dos EUA bem identificado no Nordeste da Síria. A Turquia conhece todas as nossas localizações”, confirmadas pela mais alta hierarquia militar, disse McGurk, citado pela CNN.

A ofensiva turca contra os curdos no Nordeste da Síria acarreta perigos acrescidos para o pessoal militar norte-americano que ainda lá está, além de estar a produzir rapidamente um grande número de mortos, feridos e deslocados. Pelo menos 30 civis foram mortos, perto de 100 combatentes curdos também e há pelo menos 100 mil deslocados por causa dos combates, com muitas das organizações humanitárias internacionais a abandonarem o Nordeste da Síria. 

A Turquia anunciou este sábado que as suas forças capturaram a cidade de Ras al-Ayn, no Nordeste da Síria, após quatro dias de bombardeamentos e combates contra as milícias curdas na região, que no entanto negam que a cidade tenha caído completamente nas mãos de Ancara. Dizem que os turcos apenas tomaram conta de um bairro e que intensos confrontos estão a decorrer pelo controlo do aglomerado urbano. 

“As Forças Democráticas da Síria [SDF] começaram o ataque e há violentos confrontos”, disse Marvan Qamishlo, assessor de imprensa das SDF à Reuters. “Os combates continuam na zona industrial.”