O PiS tem tudo para ganhar na Polónia, mas a corrida está mais disputada do que parece

Partido no poder faz campanha com base em subsídios e ataques à “ideologia LGBT” e é o indisputável primeiro. Mas há várias incertezas que podem mudar o cenário.

Bicicleta
Fotogaleria
Cartazes de candidatos do PiS e do partido de extrema-direita Confederação Kacper Pempel/REUTERS
,Direito e Justiça
Fotogaleria
Kaczynski em campanha Kacper Pempel/REUTERS
Fotogaleria
O primeiro-ministro Mateusz Morawiecki com eleitores Andrzej Grygiel/EPA

Fora da Polónia, as eleições deste domingo são descritas como um “teste à democracia”, as mais importantes desde o fim do comunismo em 1989, com o Partido Lei e Justiça (PiS) a entrar numa rota desafiadora em relação à União Europeia com continuação de reformas do sistema judicial que Bruxelas diz pôr em causa o Estado de direito, regulação dos media, e sobre uma campanha de ódio contra a “cultura LGBT”.