Avillez deu “uma suavizada” no sotaque e é jurado em concurso de culinária brasileiro

É um programa cozinhado para 30 milhões de espectadores a que o chef, “sempre que possível”, acrescenta gastronomia portuguesa. Mestre do Sabor estreia a 13 de Outubro.

José Avillez
Foto
José Avillez durante a apresentação do programa Mestre do Sabor Nuno Canhoto

“Foi uma experiência incrível”, resume à Fugas. “Foram três semanas fantásticas, muito intensas, a ensinar, a aprender, a conhecer pessoas novas, ingredientes brasileiros e técnicas de cozinha que não conhecia.”

José Avillez é um dos jurados do novo concurso de cozinha do Brasil, Mestre do Sabor, e esta quarta-feira foi o anfitrião do lançamento do programa em Portugal, que decorreu no seu Bairro do Avillez, espaço de restauração que o chef português inaugurou em 2016 na Rua Nova da Trindade, em Lisboa.

Avillez é o único elemento português da nova aposta da Globo, que conta com Claude Troisgros, “o chef francês mais brasileiro do mundo”, como apresentador, ao lado do seu braço-direito, Batista, e os chefs Léo Paixão e Kátia Barbosa como jurados. Por ser um “canal aberto” no Brasil, “que chega a muita gente”, Avillez confessa ter sido “importante dar uma suavizada” no sotaque. “Acho que os meus amigos vão gozar muito comigo, mas não foi difícil. Foi divertido.”

PÚBLICO -
Foto
José Avillez, Léo Paixão e Kátia Barbosa constituem o painel de jurados do novo programa da Globo Victor Pollack/Globo

A escala, muito diferente da portuguesa, é um dos aspectos que mais destaca. “É um programa que se espera ter mais de 30 milhões de espectadores”. “Já gravei cá, mas a dimensão da Globo… [ali] trabalham mais de 12 mil pessoas.”

Durante o programa, com estreia marcada para 13 de Outubro, os 24 concorrentes vão dividir-se por três equipas, cada uma liderada por um dos jurados, que terão o papel de ajudar e avaliar os participantes ao longo das diferentes fases do concurso. Há provas eliminatórias, desafios relâmpago e duelos entre cozinheiros. E todos os pratos foram avaliados em “provas cegas”, adianta o chef português.

Os finalistas já estão apurados, mas a final ainda não foi gravada, uma vez que será transmitida em directo no Brasil, na última semana de Dezembro. “Voltarei para lá no dia de Natal, o que é sempre bom”, graceja Avillez durante a apresentação.

Sempre que possível, conta o chef português, galardoado com duas estrelas Michelin, “acrescentava alguma coisa sobre a gastronomia portuguesa” ao concurso. “É um programa dedicado à gastronomia brasileira, por isso não impus nada.” Mas levanta o véu sobre um desses momentos: “Não posso revelar muito, mas a certa altura há ali uma fusão portuguesa e brasileira interessante”.

PÚBLICO -
Foto
DR

As “influências antigas” deixadas pelos portugueses ainda se fazem notar no receituário do país sul-americano, assim como “outras mais modernas”, “como a japonesa ou a italiana, dos bairros que existem em São Paulo, por exemplo”. “É um país muito grande, muito rico. Não dá para falar de uma cozinha brasileira, mas de várias”, afirma, defendendo que “hoje o Brasil é um destino gastronómico”.

“Acho que o grande trabalho da cozinha brasileira continua a ser a defesa do produto e o circuito do produto, para que este consiga chegar em perfeitas condições aos restaurantes.” Essa, acredita, é uma vantagem que Portugal tem em comparação com o Brasil. “Não temos, obviamente, alguns tipos de produtos que nós cá chamamos exóticos e que, para eles, são normais. Mas temos melhor peixe e marisco e, pela dimensão do país, temos um acesso ao produto fresco numa base muito mais regular do que eles.”

Apesar de não ter tido muito tempo livre durante o período de filmagens, conseguiu “ainda dar uma fugida, para usar uma expressão brasileira, para ir jantar a alguns restaurantes” do Rio de Janeiro. Entre os “nomes incontornáveis” da cozinha carioca, passou pelos restaurantes de Kátia Barbosa e Claude Troisgros, colegas de profissão e de programa, de Felipe Bronze (Oro), de Rafa Costa e Silva (Lasai) e de Alberto Landgraf (Oteque).

Mestre do Sabor, com episódios semanais, estreia a 13 de Outubro, às 18h40, na Globo, e é transmitido na Globo Now a 17 de Outubro, às 20h10 (ambos disponíveis na televisão por cabo, em Portugal).