Holanda é a primeira a responder a apelo de Draghi

Depois de o presidente do BCE ter pedido que as políticas orçamentais ajudem também a economia, o governo holandês apresentou um orçamento que mantém um excedente, mas dá alguns sinais de reforço na despesa e no investimento.

Foto
Ministro das Finanças holandês Wopke Hoekstra apresentou esta terça-feira a proposta de orçamento ao parlamento em Haia LUSA/BAART MAT

Cinco dias após Mario Draghi ter apelado aos governos da zona euro que ajudem a economia com políticas orçamentais mais expansionistas, a Holanda respondeu com a apresentação de um orçamento para o próximo ano que prevê, ainda que de forma prudente, reforços da despesa, reduções de impostos e diminuição do excedente orçamental, para além de abrir a porta à criação, dentro de alguns meses, de um fundo nacional de investimento.