Comic Con apresenta mais dois nomes e lista “não está fechada”

Anthony Carrigan, de Gotham e Barry, e Kevin McNally, de Piratas das Caraíbas, são duas novas confirmações do festival de cultura pop que arranca na quinta-feira e dura até domingo.

,Victor Zsasz
Foto
Anthony Carrigan, que faz de Noho Hank em Barry e Victor Zsasz em Gotham, é uma das novas confirmações desta edição da Comic Conn DR

Anthony Carrigan, o Victor Zsasz, um dos “vilões”, da série Gotham e o Noho Hank de Barry, e Kevin McNally, o Joshamee Gibbs de Piratas das Caraíbas, são os mais recentes nomes confirmados para a Comic Con Portugal, que começa esta quinta-feira no Passeio Marítimo de Algés, em Oeiras.

Esta terça-feira, na conferência de imprensa de apresentação do evento, Paulo Rocha Cardoso, director-geral do evento, sublinhou no entanto que a lista de convidados “não está fechada” e que “até ao abrir de portas poderão ser acrescentadas mais novidades”.

A acompanhar Paulo Rocha Cardoso na conferência de imprensa estavam o actor Todd Stashwick – especializado em “vilões”, justamente um dos painéis para este ano – e Francisco Rocha Gonçalves, vice-presidente da Câmara Municipal de Oeiras (CMO), que garantiu o “total empenho” da autarquia na continuidade do evento no concelho. A organização da Comic Con Portugal tem um protocolo assinado com a CMO para três edições (2018, 2019 e 2020), que envolve, por parte do município, um apoio financeiro e logístico de 330 mil euros por edição. No entanto, surgiram dúvidas este ano sobre a possibilidade de se continuar a utilizar o Passeio Marítimo de Algés, entretanto já dissipadas em Julho, aquando do último Nos Alive.

“O município [CMO] não se recorda de uma relação tão positiva com a APL-Porto de Lisboa e com o Ministério do Mar. Sentámo-nos e falámos, vimos o que temos de articular, houve acordo de vontades e abertura como não me recordo há muitos anos”, referiu o autarca. “Tudo está organizado para que a Comic Con fique em Oeiras, fique em muitos e bons anos”.

Paulo Rocha Cardoso seguiu a mesma linha de confiança para o futuro, vincando que a edição de 2020 “já está a ser preparada” com quem não foi possível trazer este ano. “Já há convidados com convite aberto”, garantiu o organizador do evento que já vai na sexta edição, após quatro iniciais na Exponor, em Matosinhos, e uma já em Algés.

Para este ano, o espaço mantém-se, com grande aposta nos espaços ao ar livre, mas “com grandes diferenças”, nomeadamente a concentração dos seis auditórios na mesma área. As outras são a comercial e a das experiências. “Temos três grandes áreas: uma área de programa, onde estão inseridos os dez temas que fazem parte da Comic Con – Cinema, Televisão, Banda Desenhada, Literatura, Gaming, Cosplay, Anime, Manga, Música e New Media –, temos a área de experiências e temos a área comercial, que baptizámos como ‘Geek Market'”, explica Paulo Rocha Cardoso.

Em grande destaque, sobressai a evocação de Stan Lee, co-criador de grande parte do Universo Marvel, com heróis como Homem-Aranha, X-Men, Vingadores, Quarteto Fantástico ou Hulk, que morreu em Novembro passado, aos 95 anos. “A entrada do recinto é um pórtico com 48 metros quadrados de painéis digitais onde estão a passar os conteúdos baseados na Nova Iorque recriada por Stan Lee, que criou muitos destes personagens e fez este universo crescer”, acrescenta o director-geral da Comic Con. Estarão representados, entre outros, a mansão dos Vingadores, a torre que alberga o Quarteto Fantástico ou ainda a casa do Doutor Estranho. Stan Lee é também tema para uma exposição, numa parceria com o Festival de Banda Desenhada da Amadora.

A nível de presença de atores, para além de Carrigan e McNally já foram anunciados, entre outros, Millie Bobby Brown, protagonista de Stranger Things, Tricia Helfer, de Battlestar Galactica, Alexander Ludwig, de Vikings, e Benedict Wong, de Doutor Estranho e dos mais recentes filmes da saga Vingadores.

No campo da literatura, os nomes em destaque são Richard Zimler e Filipe Faria, enquanto no campo da BD sobresssai Ed Brubaker, escritor multipremiado, com passagem assinalável por séries como Batman, Demolidor ou Uncanny X-Men, sendo ainda responsável por sagas como Fatale, The Fade Out ou Kill or be Killed.

Mas o director da Comic Con Portugal sublinha que “todas as áreas terão grandes atracções em todos os dias do evento”, de quinta-feira a domingo.

Na Comic Con Portugal, os visitantes, que no ano passado foram cerca de 110 mil, de acordo com a organização, podem, entre outras coisas, participar em painéis de perguntas e respostas, sessões de autógrafos e fotografia com os convidados, ver e experimentar novidades de videojogos, participar em torneios ou encontrar edições especiais de livros e artigos coleccionáveis.

“Esperamos sempre mais visitantes, e se este ano tivermos “110 mil mais um”, já será bom”, referiu ainda Paulo Rocha Cardoso.

Os preços dos bilhetes diários variam entre os 25 e os 35 euros. Os passes gerais custam 85 euros e os passes de fim-de-semana custam 60 euros.