Salvini ameaça fazer cair o Governo italiano

Liga e Movimento 5 Estrelas votaram um contra o outro numa sessão parlamentar plenária, na quarta-feira, e o líder da extrema-direita voltou a ameaçar romper a coligação. Presidente e primeiro-ministro reuniram-se esta quinta-feira.

Matteo Salvini
Foto
Nunca as perspectivas eleitorais da Liga de Matteo Salvini foram tão positivas Remo Casilli/REUTERS

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, reuniu-se esta quinta-feira com o Presidente, Sergio Mattarella, para discutir a situação política, numa altura em que se adensam os rumores sobre o colapso iminente do Governo.

A coligação formada pela plataforma anti-sistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e pelo partido de extrema-direita Liga está em convulsão interna há vários meses por causa de divergências das partes sobre um número significativo de orientações políticas.

Essas tensões aumentaram na quarta-feira, quando os dois partidos votaram um contra o outro, no Parlamento, sobre o projecto para uma linha férrea de alta velocidade de ligação a França.

Num comício na quarta-feira, em Sabaudia, a sul de Roma, o líder da Liga e ministro do Interior, Matteo Salvini, apimentou o seu discurso insinuando que poderia fazer cair o Governo, mas sem revelar em que condições tal iniciativa poderia acontecer. “É inútil continuar com litígios. Uma remodelação não serve de nada, a única alternativa a este Governo são novas eleições”, afirmou o político de extrema-direita, que faz as suas contas baseando-se na estimativa de votação no seu partido apontada pelas sondagens: 38%, quando o M5S continua a rondar os 17%, e o Partido Democrata os 22%.

O líder do partido nacionalista e anti-imigração tem usado essa informação para ameaçar frequentemente fazer cair o Governo e tentar provocar eleições antecipadas. Ainda assim, numa altura em que a maioria dos italianos se encontra de férias e o Parlamento está encerrado, seria muito invulgar iniciar uma crise governamental. 

Segundo uma fonte do Governo, Conte não fez qualquer menção a uma possível demissão, na reunião com Mattarella – facto que provocou uma ligeira recuperação nos mercados. Mas o primeiro-ministro não quis revelar o conteúdo da conversa com o Presidente. Cancelou uma conferência de imprensa agendada para esta quinta-feira, uma vez que, de acordo com uma fonte da Liga, Salvini irá clarificar a sua posição na próxima segunda-feira.