EUA e China endurecem discurso mas hesitam nas armas a usar

A forte dependência criada entre as duas economias nas últimas décadas pode diminuir o apetite dos EUA e da China por um conflito sem tréguas na frente comercial

Foto
Reuters/Kevin Lamarque

Nunca desde que, em Março de 2018, Donald Trump anunciou a sua primeira subida de taxas alfandegárias, um acordo entre os Estados Unidos e a China pareceu tão improvável. As acusações de parte a parte subiram de tom esta terça-feira. Ainda assim, a dificuldade que os dois lados têm em infligir danos ao adversário sem se prejudicarem a si próprios torna o cenário de uma guerra fria comercial mais provável do que um conflito aberto repleto de ataques e retaliações.