ADSE quer controlar internamentos prolongados que custaram 16 milhões em 2018

As regras fazem depender de um parecer médico o financiamento do internamento hospitalar acima dos 120 dias, mas têm sido detectadas situações irregulares. ADSE está a apertar o controlo para evitar abusos e controlar os custos.

Foto
Andreia Carvalho

Os internamentos hospitalares prolongados custaram no ano passado 16 milhões de euros à ADSE. Este valor diz respeito a situações justificadas e outras em que os beneficiários deveriam ter sido encaminhados para cuidados continuados, da responsabilidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS), ou para lares e cuidados domiciliários. O instituto que gere a ADSE tem vindo a apertar o controlo do financiamento dos internamentos superiores a 120 dias, para evitar abusos e controlar os custos, mas alguns beneficiários têm contestado as decisões de deixar de comparticipar as despesas.