Rio escolhe mais quatro rostos desconhecidos para lista de deputados

Líder do PSD contraria critérios que ele próprio impôs às estruturas do partido e escolhe Isaura Marques, presidente da Câmara de Rio Maior, para liderar a lista por Santarém.

Presidente do PSD não abre o jogo sobre o lugar vai ocupar nas listas de deputados
Foto
Presidente do PSD não abre o jogo sobre o lugar vai ocupar nas listas de deputados Nuno Ferreira Santos

 Aos seis cabeças de lista de deputados do PSD para as eleições legislativas divulgados no sábado, Rui Rio acrescentou mais quatro: Henrique Silvestre Ferreira (Beja), Cláudia André (Castelo Branco), Nuno Carvalho (Setúbal) e Isaura Morais (Santarém).

“Uma aposta na inovação e no futuro” – é, desta forma, que o partido define no site do PSD a escolha dos cabeças de lista pelos distritos de Beja, Castelo Branco, Santarém e Setúbal. Os primeiros dez nomes são todos rostos novos e no partido há quem se oponha a esta opção por temer um mau resultado nas legislativas de Outubro.

Tal como em 2011, a direcção social-democrata aposta numa pessoa nova para Beja, mas o engenheiro agrónomo que Rio foi buscar tem uma gigantesca tarefa pela frente nos próximos meses. O comissário europeu, Carlos Moedas, foi o primeiro deputado à Assembleia da República social-democrata a ser eleito por Beja, em 2011. Há quatro anos, a lista pelo distrito alentejano foi liderada por Nilza de Sena, por indicação do então presidente do partido, Passos Coelho, mas foi tudo menos pacífica.

Carlos Valente, vice-presidente da distrital de Beja do PSD não se calou e insurgiu-se contra Passos Coelho: “O presidente do PPD/PSD demonstrou uma enorme falta de respeito democrático e uma postura arrogante que não fica bem a um líder” ao impor como cabeça de lista quem “não tem qualquer afinidade/ligação ao distrito”.

O presidente da concelhia do PSD de Setúbal e conselheiro nacional, Nuno Carvalho, de 37 anos, vai encabeçar a lista do partido, que há quatro anos foi liderada por Maria Luís Albuquerque. O líder da bancada parlamentar do PSD, Fernando Negrão, foi um dos nomes apontados para encabeçar a lista pelo distrito, mas Rio optou num jovem. Licenciado em Direito pela Universidade Moderna de Lisboa e especializado em Finanças pelo Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, Nuno Carvalho foi considerado pela revista Exame um dos jovens mais promissores com menos de 40 anos.

Cláudia André, vogal da comissão política do PSD e porta-voz para a área da Educação, Cultura, Juventude e Desporto do Conselho Estratégico Nacional do PSD, presidido por David Justino, vai dar a cara pelo partido em Castelo Branco, um distrito que apoiou Pedro Santana Lopes nas eleições internas para a presidência do PSD que deram a vitória a Rui Rio, em Janeiro do ano passado. Cláudia André sucede ao santanista Manuel Frexes, que se demitiu da presidência da distrital de Castelo Branco na altura em que anunciou que não seria candidato na próxima legislatura. Para o dia 9, estão marcadas eleições para a distrital albicastrense.

A lista de Santarém está entregue a uma mulher de 53 anos, Isaura Morais, que preside à Câmara de Rio Maior. Fonte da Câmara de Rui Maior disse ao PÚBLICO que a presidente da autarquia já aceitou o convite do presidente do partido pelo que a partir de Outubro vai trocar o poder local pela Assembleia da República. Licenciada em Recursos Humanos e com uma pós-graduação em Marketing, Isaura Morais ainda não terá decidido se suspende o mandato por um ano ou se renuncia ao cargo de presidente da Câmara de Rio Maior após a sua eleição para o Parlamento.

A escolha de Isaura Morais para a lista de deputados vai contra os critérios para a elaboração das listas para as legislativas que foram enviados pela direcção do partido aos líderes das distritais do PSD, que recomendou que evitassem incluir autarcas no rol de candidatos. Um deles é “evitar o exercício de cargos políticos executivos de eleição em acumulação”.

Nas legislativas de 2015, a lista de deputados da coligação PSD/CDS por Santarém foi liderada por Teresas Leal Coelho, ex-vice-presidente de Pedro Passos Coelho. Dois anos depois a deputada foi o rosto da candidatura do PSD à Câmara de Lisboa, tendo sido eleita vereadora.

A divulgação dos quatro novos nomes acontece cinco dias depois de serem tornados públicos os cabeças de lista dos principais distritos. Todos são estreias nas listas de deputados: Filipa Roseta, vereadora na Câmara de Cascais, em Lisboa; Margarida Balseiro Lopes (líder da JSD) em Leiria; Hugo Carvalho, presidente do Conselho Nacional da Juventude, para liderar a lista do Porto; a professora Ana Miguel Santos para Aveiro; André Coelho Lima, vereador em Guimarães, que vai liderar lista de Braga; a advogada Mónica Quintela, porta-voz para a Justiça no Conselho Estratégico Nacional do PSD.

Já é público que Rio não vai encabeçar nenhuma das listas às legislativas. No partido especula-se muito sobre qual vai ser a opção do líder do PSD: se entra na corrida ocupando um lugar na lista do Porto, por exemplo, ou se fica de fora não sendo candidato a deputado por nenhum círculo eleitoral.