Comentário

A Europa ainda existe?

Há várias razões para o que aconteceu em Bruxelas, aliás relacionadas entre si. Talvez a mais profunda no seu significado e nas suas consequências esteja no vazio de liderança deixado pela chanceler alemã, provavelmente difícil de substituir.

Se alguém tivesse encomendado um guião para este encontro de lideres europeus destinado a para provar até que ponto a União Europeia está desunida, fragmentada e sem liderança, nem a mais fértil imaginação poderia conceber um cenário mais desastroso. O Conselho Europeu volta a reunir-se a partir das 11 horas (10h em Lisboa) de terça-feira, sem que haja a mínima expectativa de corrigir a imagem que deu de si próprio numa maratona negocial que começou na noite de domingo e que apenas terminou no dia seguinte sem qualquer acordo.