As séries e o novo documentário que vão ocupar o vazio de A Guerra dos Tronos – e o que disse George R.R. Martin sobre o final

Prolongando o fenómeno, o documentário A Última Patrulha, sobre os bastidores da última temporada da série, chega já na segunda-feira. Entretanto, as filmagens de um novo spin-off começam em Junho, enquanto HBO, Amazon e Netflix se candidatam à sucessão. “Livro ou série, qual será o ‘verdadeiro’ fim? É uma pergunta tonta”, comentou o autor da saga literária.

,Programa de televisão
Foto
Kit Harington como Jon Snow hELEN SLOAN/HBO

Agora que a onda Guerra dos Tronos está a recuar, depois de semanas de maré cheia, começa a ver-se o terreno pós-blockbuster. Despontam as candidatas à sucessão e há dados mais concretos sobre as séries spin-off que manterão a HBO no seu universo –​ uma começa a ser filmada em Junho. Para já, e antevendo a fome de mais histórias sobre a série mais vista do mundo na actualidade, a HBO estreia na próxima segunda-feira o documentário A Última Patrulha, sobre os bastidores da produção. E entretanto, o autor de As Crónicas de Gelo e Fogo, a saga literária que deu origem à série televisiva, falou sobre o final.

A Última Patrulha estreia-se na segunda-feira, dia 27 de Maio, em exclusivo no serviço de streaming HBO Portugal. Realizado por Jeanie Finlay (Seahorse, The Great Hip Hop Hoax), o documentário constituirá mais uma oportunidade de prolongar a experiência A Guerra dos Tronos. Será uma “crónica íntima e pessoal, a partir das trincheiras da produção, acompanhando a equipa e o elenco enquanto enfrentam condições climatéricas extremas, prazos de entrega impossíveis e um exército de fãs ansiosos por spoilers”. Acompanhou “a criação da temporada mais ambiciosa e complexa da série”, a oitava, e última, que terminou na segunda-feira, focando-se na empreitada hercúlea e milionária que criou voos de dragões, destruiu cidades, e encenou aquela que será provavelmente a batalha mais longa alguma vez filmada.

Tratado com tanto hermetismo quanto um episódio da série antes da sua estreia, tudo indica que o documentário será sobretudo um atestado da proeza técnica investida n'A Guerra dos Tronos. Sabe-se que terá produção executiva (portanto o aval) de David Benioff e D.B. Weiss. Ora os criadores da versão televisiva da série, que também são os argumentistas e realizadores do último episódio, são os maestros da sua orquestração final e as críticas de que têm estado a ser alvo são sobretudo sobre o outro lado deste acontecimento televisivo global – o seu enredo

Responsáveis pela transposição para a televisão d’As Crónicas de Gelo e Fogo, Weiss e Benioff tinham a tarefa quase impossível de pôr fim à história com o nível de complexidade literária e coerência interna a que A Guerra dos Tronos se tinha elevado. Perante os desenvolvimentos dos últimos episódios, porém, e a forma como estes desbarataram certas personagens, viram-se acusados de degradar esse património. 

Entretanto, e dois dias após a transmissão do episódio final, e no meio de uma tempestade de críticas, o juiz George R.R. Martin falou. No seu blogue pessoal, o autor que ainda tem em mãos a escrita dos dois livros finais da saga, elogia o elenco, recorda como surgiu a proposta de adaptação que ditaria que outros contariam primeiro o final da sua própria história, e reitera: “Estou a escrever. O Inverno está a chegar, disse-vos há muito tempo… e assim será. The Winds of Winter [o penúltimo livro da saga] está muito atrasado, eu sei, eu sei, mas será acabado. Só não direi quando, mas vou acabá-lo, e depois virá [o derradeiro] A Dream of Spring. Como acabará? Ouço as pessoas a perguntarem. O mesmo final que a série? Diferente? Bom… sim. E não. E sim. E não.”

Especial O Fim de A Guerra dos Tronos

“Nunca se esqueçam de que estou a trabalhar num meio muito diferente de David [Benioff] e Dan [Weiss]. Eles tinham seis horas para esta temporada final. Espero que estes meus dois últimos livros encham três mil páginas manuscritas”, contabilizou. “E se forem precisas mais páginas e mais capítulos e cenas, eu acrescento-os”. Elenca personagens que nunca chegaram à série e outras que morreram na série e ainda estão vivas nos livros e cujas histórias vai continuar a contar. “E sim, haverá unicórnios… uma espécie”, atira. “Livro ou série, qual será o ‘verdadeiro’ fim? É uma pergunta tonta”, repete, convidando os leitores a avaliarem o que escreverá.

Os candidatos à sucessão

Martin adianta ainda que, “como produtor”, tem “cinco séries em desenvolvimento na HBO (algumas das quais nada tendo a ver com o mundo de Westeros)”. Aquelas que têm a ver com o universo A Guerra dos Tronos serão três, segundo diz o presidente da HBO para a programação, Casey Bloys, à revista Hollywood Reporter. O primeiro episódio-piloto de uma dessas séries começa a ser filmado em Junho e “há mais duas [séries] em fase de desenvolvimento”, adiantou ainda o responsável do canal, que inicialmente tinha cinco séries spin-off em carteira. A primeira série já em produção tem argumento de Jane Goldman, autora dos filmes Kingsman, X-Men ou Kick-Ass, e será uma prequela dos acontecimentos de A Guerra dos Tronos, filmada na Irlanda e com Naomi Watts no elenco. Casey Bloys afastou ainda qualquer possibilidade de novas séries a partir das personagens actuais de A Guerra dos Tronos.

A prequela será apenas um dos títulos candidatos a preencher o vazio de A Guerra dos Tronos, que será sentido sobretudo pela HBO (e pelos fãs). Com novas temporadas de fenómenos televisivos como Stranger Things (4 de Julho), Dark (21 de Junho) ou A Casa de Papel (19 de Julho) a caminho, a saciedade parece garantida, e em versão bingewatch – mas toda no Netflix. A HBO terá, no final do ano, a série His Dark Materials, baseada na trilogia de fantasia Mundos Paralelos, de Philip Pullman (adaptada sem grande sucesso ao cinema), cujo primeiro teaser revelou, sintomaticamente, na véspera do final de A Guerra dos Tronos. Já no final do último episódio foi a terceira temporada de um novo Westworld, prevista para 2020, que a HBO decidiu promover.

No final de 2019 chegam The Witcher (Netflix), com base nos livros de culto de Andrzej Sapkowski, e a adaptação da novela gráfica Watchmen por Damon Lindelof (HBO). Na mesma HBO está na calha The Nevers, ficção científica de Joss Whedon, ainda sem data de estreia. A Amazon está a produzir, ainda sem data de estreia mas como efeito directo da popularidade de A Guerra dos Tronos, a nova série do universo Senhor dos Anéis (que contará aliás com Bryan Cogman, o “número três” da equipa televisiva de Tronos), mas também as adaptações de A Roda do Tempo, de Robert Jordan, e de Bons Augúrios, de Neil Gaiman e Terry Pratchett.