Opinião

O “desplante” de Joe Berardo é o desplante do PS

Até que ponto o Museu Berardo pode ser entendido como uma contrapartida política pelos bons serviços prestados pelo comendador, não se sabe ao certo.

Esta segunda-feira, António Costa afirmou que todo o país tinha ficado “chocado” com o “desplante” com que Joe Berardo tinha ido ao Parlamento responder aos deputados. É impossível discordar da sua afirmação — o país inteiro ficou chocado, com certeza, e muito. Contudo, também é preciso ter certo desplante para António Costa ficar tão chocado com o desplante de Joe Berardo, tendo em conta que o PS esteve enfiado até às orelhas na negociata das acções do BCP que conduziu à dívida astronómica dos tais mil milhões de euros que o senhor comendador agora não paga, para pagarmos todos nós.