Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas vai entregar pré-aviso de greve

Motoristas responsáveis pela entrega de combustíveis e outras matérias consideradas perigosas ameaçam voltar a parar.

Foto
PAULO PIMENTA

O Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) vai entregar um novo pré-aviso de greve, para ser iniciada no dia 23 de Maio, avançam a RTP e o Eco.

Na terça-feira, a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) disse, em comunicado, após uma segunda ronda negocial de cerca de três horas, que o SNMMP aceitou 700 euros de salário-base em vez dos 1200 que exigia, o que culminou na assinatura de um acordo de paz social, com um prazo de 30 dias.

Na primeira reunião o SNMMP acusou a Antram “de andar a brincar com coisas sérias”. Agora, o vice-presidente deste sindicato acusa a Antram de emitir comunicados falsos, acusando-a de violar "os princípios da boa-fé negocial”, acrescentando que a estrutura sindical não vai conceder mais tempo aos patrões. 

“O presidente do sindicato [Francisco São Bento] vai enviar um pré-aviso de greve com efeitos a partir do dia 23 de Maio à meia-noite e um minuto até que se resolva a situação”, afirmou o vice-presidente do SNMMP, Pedro Pardal Henriques, à RTP, em declarações citadas pela agência Lusa. A greve será por tempo indeterminado, reforçou o mesmo sindicalista.

O PÚBLICO apurou que os motoristas de matérias perigosas saíram da reunião com a expectativa de conseguir valores base em várias rubricas de 1400 euros a partir de 1 de Janeiro do próximo ano, valores esses que passam a 1550 euros no ano seguinte, e a 1715 euros em 2021.