Precários do Estado: formadores, técnicos das escolas e investigadores com futuro incerto

Dificuldades e atrasos do programa de regularização de precários do Estado estarão em debate nesta sexta-feira no Parlamento.

Foto
Paulo Pimenta

O Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP) foi lançado em Maio de 2017 e já permitiu regularizar a situação de várias centenas de pessoas que trabalhavam no Estado com vínculos ilegais. Mas há atrasos e precários que continuam sem saber o que o futuro lhes reserva. Os casos mais problemáticos são os dos técnicos especializados das escolas, dos investigadores dos laboratórios do Estado e do ensino superior, das amas da Segurança Social ou dos formadores do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).