PSP deteve duo em pleno assalto a estudante na Asprela, no Porto

Detidos são suspeitos de outros dois assaltos, no mesmo dia. Estudantes denunciam clima de insegurança, provocado por situações semelhantes ocorridas em plena via pública, nas últimas semanas.

Foto
Associação de Estudantes da FEUP pediu reunião à PSP, para discutir insegurança NELSON GARRIDO / PUBLICO

Trabalhavam de dia, em dupla, e sem medo. Dois jovens de 22 e 24 foram nesta terça-feira detidos por uma patrulha da PSP quando encaminhavam, sob ameaça de arma branca, outro jovem para uma caixa multibanco. O duo é suspeito de outros dois assaltos ocorridos no mesmo dia, mas desconhece-se, para já, se tem qualquer responsabilidade noutras ocorrências registadas na mesma zona, e que vêm preocupando a comunidade académica das várias faculdades ali instaladas.

Os agentes da PSP da Esquadra do Bom Pastor que, pelas 18h05, patrulhavam a zona da Asprela, estranharam a forma como o duo acompanhava um outro rapaz, já na Rua Eduardo Santos Silva, e abordou os três transeuntes. Perante a presença da polícia, um deles terá desatado a correr, aumentando as suspeitas das autoridades que, nesse momento, pelo testemunho recolhido no local, perceberam que a vítima, um estudante, teria sido abordada minutos antes. “Insatisfeitos com os dez euros que aquele tinha na carteira, estavam a conduzi-lo, sob ameaça, para uma caixa multibanco quando foram interpelados”, explicou fonte da Polícia de Segurança Pública.

Segundo o gabinete de imprensa do comando metropolitano da PSP, o mesmo duo, que esta quarta-feira foi presente a tribunal, está indiciado por outros assaltos, nomeadamente por dois ocorridos também na terça-feira, pelas 14h e pelas 17h. Sem outra ocupação conhecida, actuava à luz do dia, com relativo à vontade, o que ajuda a perceber o clima de receio vivido pela comunidade estudantil e que esta quarta-feira levou a uma tomada de posição da Associação Académica da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. 

“Devido aos recentes assaltos ocorridos no Pólo da Asprela, vem a Associação de Estudantes da FEUP informar que estamos em contacto permanente com o chefe da esquadra do Bom Pastor, que nos garantiu o reforço de patrulhamento policial nas imediações da FEUP. Foi também feito um pedido para uma reunião de carácter urgente, e em conjunto com as restantes Associações de Estudantes do Pólo da Asprela, com o objectivo de reforçar a nossa preocupação numa solução rápida e eficaz.

Nesta mesma nota, publicada na sua página do Facebook, a associação pede que, caso existam mais casos, os alunos “reportem a situação às entidades competentes e/ou AEFEUP”. E, perante o modo de actuação nos casos já conhecidos – que envolvem abordagens a pessoas que seguem sozinhas, na via pública - deixa um conselho à comunidade estudantil: “Apelamos a que não ajam por conta própria e incentivamos, caso seja possível, que se desloquem em grupos”.

Em e-mail enviado ao PÚBLICO na noite de terça-feira, um estudante deu conta de três assaltos consumados, e de três tentativas, às quais alunos seus conhecidos tinham conseguido escapar. E explicou que outras situações estão a ser reportadas por um grupo de Facebook criado precisamente na tarde de terça-feira para discutir a insegurança na zona da Faculdade de Engenharia/Hospital de São João. A PSP confirma ter recebido denúncias de mais casos. “No que diz respeito a crimes contra as pessoas, estão a decorrer inquéritos judiciais, que foram participados junto das autoridades judiciárias”, esclareceu ao PÚBLICO o comando metropolitano.

“A PSP está atenta e a trabalhar de forma a aumentar o sentimento de segurança dos estudantes e dos restantes cidadãos, assim como diminuir os índices de criminalidade, no intuito de conferir maior segurança no local, como decorre da tendência de diminuição generalizada da criminalidade na sua área de intervenção”, insiste a mesma fonte.

A polícia não tem notícia de danos físicos associados aos assaltos ocorridos ultimamente nesta zona da cidade que, de tempos-a-tempos, é notícia por este tipo de criminalidade. Com uma concentração de faculdades, e dois grandes hospitais, pela Asprela movimentam-se diariamente dezenas de milhares de pessoas, sendo, também por isso, alvo de uma atenção específica por parte das autoridades policiais, explicou a mesma fonte. Desde 2002, existe uma equipa da PSP dedicada àquela zona, que realiza operações de prevenção criminal, e, segundo o Comando Metropolitano, foi estabelecida “uma parceria formal, um protocolo de segurança, com a FAP – Federação Académica do Porto, dirigido à segurança dos estudantes, com reuniões periódicas entre as duas instituições.